Share on Google+

Cronicamente Inviável


Sinopse Tendo como pano de fundo a vida de seis personagens, Cronicamente Inviável mostra a árdua tarefa de sobreviver física e mentalmente em meio ao caos da sociedade brasileira; dificuldade esta que atinge a todos independentemente da posição social ou da postura assumida. As situações abordadas têm como fio condutor um restaurante num bairro rico de São Paulo, cujo dono é um homem de meia idade, refinado e acostumado com as boas maneiras, mas ao mesmo tempo irônico e pungente. Um escritor que realiza um passeio pelo país, buscando compreender os problemas de dominação e opressão social. Um garçom que se destaca por sua descendência européia, aspecto físico, boa instrução e insubordinação. Uma rica carioca preocupada em manter o mínimo de humanidade na relação com as pessoas de classe mais baixa. Seu marido acredita na racionalidade como forma de tirar proveito da bagunça típica do Brasil. E a gerente do restaurante, uma pessoa cativante, com um passado encoberto pelas várias histórias que costuma contar para os amigos e os refinados clientes do restaurante.

Share on Google+

Informações


Título no Brasil Cronicamente Inviável
Título Original Cronicamente Inviável
Ano de Lançamento
Gênero Drama
País de Origem Brasil
Duração102 minutos
Direção
Estúdio/Distrib. Versátil
Idade Indicativa 16 anos

Elenco


... Alfredo
... Luís
>> Ver todo o Elenco...


Trilha Sonora


“Dindi”Composta por Antonio Carlos Jobim
“Vivo Sonhando”Composta por Antonio Carlos Jobim
>> Ver toda a Trilha Sonora...

Trailer



Comentários



  >> Ver todos os Comentários...

13/03/2008 - Andrea

10
  Ótimo
Denunciar
Achei um pouco confuso.

17/06/2008 - Deborah

11
  Ótimo
Denunciar
Este filme é ótimo para conscientizar as pessoas que parecem estar anestesiadas, vivendo um cotidiano medíocre, sem reflexão e portanto sem atuação. Se for necessário assistam mais de uma vez para tentar entender e sair das "zonas de conforto" nas quais as instituições sociais nos guiam e permitimos sermos guiados.

18/12/2008 - Infernando

12
  Ótimo
Denunciar
Assisti este filme pela primeira vez aos 12 anos de idade, em exibição no cine cultura que era as sextas no canal 2. Quase não dormi aquela noite, embriagado de vertiginosa indignação! Hoje sou graduando em ciências sociais e sei o quanto esta obra continua a me influenciar por sua cruel pertinência. Enquanto escrevo este comentário ouço que só agora os comandantes do genocídio que vimos em "hotel Ruanda" são condenados na ONU. Não sei se niilismo seria capaz de enquadrar esta análise luminosa deste país cronicamente inviável. No segundo ano do ensino médio o professor de filosofia e sociologia abriu espaço para sugestões de filmes, música ou textos que instigassem debates, adivinhem a minha sugestão?. Sim o professor comprou o DVD gostou, mas disse que a turma ainda não tinha a mínima maturidade para receber o filme, mesmo ouvindo funck´s de sacanagem concreta em todo tempo e lugar. Eu já pensei em exibir este filme à turma de 8ª, mas não tive tempo de discutir antes e eles tomaram apenas um café filosófico de digestão menos pesada. Bianchi é o cara, pena que não tive acesso a toda sua obra.

15/05/2009 - Nina (20 anos)

13
  Regular
Denunciar
Estou vendo esse filme na aula de sociologia da minha escola, apesar de ter cenas muito fortes e chocantes, estou gostando bastante. A realidade do Brasil é essa com muitos preconceitos sociais devido a raça e situação financeira entre outros!

24/05/2009 - Rodrigo (27 anos)

14
  Ruim
Denunciar
A mensagem do filme é excelente. O filme é horrível. Cortes toscos, passagens de cena sem nexo. Desvaloriza o elenco essas tosquices que tem no filme. O que vale é a mensagem mesmo. Valia uma refilmagem.

03/12/2009 - Regiane (28 anos)

15
  Bom
Denunciar
Realmente retrata a mais fria e crua realidade do nosso Brasil, transmitindo a todos um apelo emocionante por todas as diferenças e indiferenças que nos no dia a dia ignoramos.

19/01/2010 - Celso Santos (48 anos)

16
  Bom
Denunciar
Plagiando Nelson Rodrigues: "a vida como ela é", um retrato da crueldade instituída. E do quanto assistimos impotentes a "caravana passar".

15/02/2010 - Romanelli (59 anos)

17
  Ótimo
Denunciar
Crítica social altamente eficaz no sentido de se entender a eficácia como a letargia óbvia e persistente que domina o país (naturalmente, o mundo, mas o filme é bem patriota). Mostra o que é, como é, e como vai permanecer: realidade pura e simples, chocante, chocando e escancarada. Quem tem ouvidos, ouça, quem tem olhos, veja; nós outros todos, continuemos na mesma.

24/02/2010 - Carlos N Mendes (43 anos)

18
  Ótimo
Denunciar
"Divertido não é despedir. Divertido é humilhar". Esse filme deve doer em muitas conciências. Não porque induza a arrependimentos - gente igual ao personagem de Cecil Thirré não se arrepende de nada que não envolva perder dinheiro - mas porque deixa muito caráter nú por aí. Não se liguem em comentários do tipo "pobreza técnica". O que realmente falta é um polimento melhor dos diálogos, mas nada que mate a ideia central do enredo. Recomendo.

25/03/2010 - David Reis (45 anos)

19
  Ótimo
Denunciar
Nota DEZ! Trabalho com uma enorme população de rua, todos vítimas das mazelas sociais apontadas pelo filme. Após o filme, debatemos sobre e, deu o que falar... Valeu! Todos os atores brilharam em suas interpretações.

24/04/2010 - Gustavo (27 anos)

20
  Ruim
Denunciar
Boas idéias, péssima execução!

30/03/2011 - Elisa (30 anos)

21
  Regular
Denunciar
Cansativo e mostra só lado ruim de ser brasileiro.

10/11/2011 - Emerson (29 anos)

22
  Ótimo
Denunciar
Filme crítico, eficaz, para assistir quem é maduro, menciona o que se passa no Brasil, falta um pouco de investimento nas suas imagens, mas o que vale é a mensagem que ``o filme´´ passa.

19/02/2013 - Rogério Bergonzoni (80 anos)

23
  Ótimo
Denunciar
O filme é atualíssimo depois da churrascaria humana em Santa Maria/RGS. Será que alguém notou que não se viu nenhum negro ou mulato entre os mortos e os que salvaram do incêndio. No gaúcho rejeita os nordistas e principalmente os negros. Os frequentadores da espelunca KISS eram jovens da alta sociedade. Seriam os futuros políticos riograndenses. E que espécies de administradores públicos seriam se foram incapazes de notar que o local não passava de um "salve-se quem puder". Quem frequenta esse tipo de espelunca iria permitir que outras pocilgas continuam funcionando nos locais em que esses mauricinhos seriam administradores. Está na hora de reprimir o preconceito no sul.

10/05/2013 - Clei Pinheiro (71 anos)

24
  Ótimo
Denunciar
O filme continua atual, principalmente quanto à inviabilidade do caráter gaúcho. Os jornais desta semana noticiam que os trabalhadores colocavam formol no leite para aumentar sua ganância de lucros. Enquanto no Norte e Nordeste temos os devastadores de flores, no sul há os gangsteres que matam lentamente com formol os consumidores de lei. Uma pergunta: onde estava a ANVISA que desconhecia esse crime que se prolongava por muitos anos e que ceifava ou inutilizava vidas humanas. A ANVISA tem a sua parte como vilã no "cronicamente inviável". Será que a ANVISA ganha comissão da funerária ou dos hospitais que cuidam desses infelizes que ingeriram leite com formol.

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho, mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiter? Sim / Não     Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:

Últimos Visitados

Deus Não Está Morto (God's Not Dead)

Copyright © 2014 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.