Share on Google+

Faça a Coisa Certa

  (Do the Right Thing)
Sinopse Sal (Danny Aiello), um ítalo-americano, é dono de uma pizzaria em Bedford-Stuyvesant, Brooklyn, (lá também há um armazém cujos donos são coreanos). Com predominância de negros e latinos, é uma das áreas mais pobres de Nova York. Sal é um cara boa praça, que comanda a pizzaria juntamente com Vito (Richard Edson) e Pino (John Turturro), seus filhos, além de ser ajudado por Mookie (Spike Lee), um funcionário. Sal cultua decorar seu estabelecimento com fotografias de ídolos ítalo-americanos dos esportes e do cinema, o que desagrada sua freguesia. No dia mais quente do ano, Buggin' Out (Giancarlo Esposito), o ativista local, vai até lá para comer uma fatia de pizza e se desentende com Sal por não existirem negros na "Parede da Fama" dele. Sal retruca dizendo que esta parede é só para ítalo-americanos e se Buggin' Out quer ver fotos dos "irmãos" que abra sua própria pizzaria. Notando que não vê nenhum italiano para proteger Sal, Buggin passa o resto do dia tentando organizar um boicote contra a pizzaria. Este incidente trivial é o ponto de partida para um efeito dominó, que vai gerar vários problemas. Um desentendimento com Mookie o leva a enfrentar uma série de mal-entendidos, que resultam em pancadaria. A polícia chega ao local e acaba matando um dos fregueses, transformando a confusão em tragédia.

Share on Google+

Informações


Título no Brasil Faça a Coisa Certa
Título Original Do the Right Thing
Ano Lançamento
Gênero Drama
País de Origem EUA
Duração120 minutos
Direção

Elenco


... Sal
... Da Mayor
>> Ver todo o Elenco...

Trilha Sonora


“Fight the Power”Música e Letra de Chuck D. (como Carlton Ridenhour), Hank Shocklee, Eric Sadler,
and Keith Shocklee
Interpretada por Public Enemy
Def American Songs, Inc. (BMI)
“Don't Shoot Me”Música e Letra de Spike Lee, Mervyn Warren, Claude McKnight, e David Thomas
Interpretada por Alvin Chea, Cedric Dent, Joey Kibble, Mark Kibble, Claude McKnight, e David Thomas as (Take 6)
Spikey-Poo Songs, Inc. (ASCAP)/Dee Mee Music/Mervyn Warren Music/Claude Vee Music (BMI)
>> Ver toda a Trilha Sonora...

Trailer



Comentários



  >> Ver todos os Comentários...

26/10/2007 - Eduardo de Lima Teles

3
  Péssimo
Denunciar
Spike Lee, sem dúvida, é um apaixonado pela sétima arte. O grande acervo de produções nesse gênero impressiona. O seu repertório cinematográfico, predominantemente, erige-se sobre a temática das condições desumanas nas quais vive o negro na sociedade americana. A dicotomia brancos X negros seus conflitos e tensões, a ótica estereotipada e preconceituosa com a qual o negro é visto incomoda e perturba o polêmico diretor, que parte para a contestação e denúncia das vicissitudes enfrentadas pelos seus iguais, dificultando-lhes uma existência social digna. Faça a Coisa Certa afigura-se um filme a buscar mais uma vez referendar a preocupação de Spike com os seus pares de etnia. Feitas essas ressalvas, passemos a discutir a obra. A introdução do filme é descontextualizada do restante da obra. Algumas garotas dançando, dançando e dançando... Cena desconexa, cansativa... Quase interminável! Se existiu ali alguma simbologia, só com muitos exercícios metafísicos para desvendar tal mistério. Até a metade do filme, há uma sensação de vácuo na história. Os fatos não se coadunam. Há alguns momentos de humor questionável, apropriamo-nos da personalidade de alguns personagens, do cotidiano da comunidade e... Só!Parece que a trama não vai sair do lugar! Do meio para o final surge, afinal, a veia polêmica de Spike e o filme “evolui”, através de uma dramaticidade forjada. Como não entender a cena da discussão entre Sal e Radio Raheem como uma busca forçada de achar enfrentamento racial em personagens que, em momento algum, dão mostras de serem vitimas e algozes em relação a preconceito étnico? Inverossímil, surreal, hiperbolicamente ficcional essa cena. A morte de Radio Raheem é um outro “achado” desprovido de sentido. Os policiais envolvidos na morte não nutriam aversão aos negros, além disso, o lunático personagem já estava imobilizado. A ação posterior de Mookie incitando a multidão ao arremessar uma lata na vidraça da pizzaria contrasta com a personalidade do entregador, revelando um acesso de idiotia completo. Aliás, o interessante é se perceber que Spike em lugar de alcançar seu objetivo maior no filme: vitimizar os negros- como ele sempre fez-conseguiu , de fato, idiotizá-los, por completo. O filme não passa de uma tentativa frustrada de falar sobre conflitos de raças onde não existe - pelo menos na dimensão explicitada. Assisti a esse filme-simulacro de lutas de raças - é não fazer a coisa certa - simplesmente isso!

29/10/2007 - Ricardo

4
  Bom
Denunciar
O filme de spike lee é bastante interessante. Os comentários que vejo postados na internet sobre ele têm, evidentemente, um cunho racista, porque, de alguma forma, não percebem o fundo da questão. O diretor em momento algum toma partido de negros ou de brancos, mas seria interessante que as pessoas se posicionassem um pouco no lugar dos negros, no filme, e verificassem se agiriam da mesma forma que Mookie, Radio Rehem e os outros.

02/12/2008 - Marcia

5
  Ótimo
Denunciar
O filme é ótimo, para quem sofreu e ainda sofre com o preconceito e sabe de todas as dificuldades. Agora o companheiro Eduardo Teles, deve ser branco e jamais vai entender o que é isso, e se for negro que pena é mais um vegetativo vivendo em função dos outros, sendo dominado.

10/12/2008 - Guacira

6
  Ótimo
Denunciar
Concordo plenamente com Márcia, apesar de não ser negra. Acredito que o filme é feliz em mostrar diversos preconceitos e o que eles acarretam. Está mais do que na hora de assistirmos filmes como esse e incentivar discussões para que possamos construir uma sociedade mais crítica.

08/09/2009 - Hudson* (14 anos)

7
  Ruim
Denunciar
Concordo com Eduardo Teles: "O filme não passa de uma tentativa frustrada de falar sobre conflitos de raças onde não existe - pelo menos na dimensão explicitada. ". O autor cria situações exageradas e dramáticas para falar de um assunto que deveria ser tratado de forma direta e simplória. O nome do filme é "Faça a coisa certa", mas há uma clara indução à violência, e um racismo explícito não só de brancos para negros, como também de negros para brancos e de negros para asiáticos (como na cena que eles - em maioria - ameaçam os japoneses/chineses). O autor usou um contexto em que os negros predominam e por eles serem a maioria, fizeram uma revolta, destruindo o branco. Sal tinha a liberdade de expor seus preferidos na sua "parede da fama", já que o estabelecimento era dele. Todos eram brancos. Mas qual o problema nisso? Se Buggin' Out não gostou do fato, cabia a ele deixar de frequentar o local, ou fazer uma manifestação mais racional, que não tivesse o uso da violência de forma abusiva e descontrolada.

03/01/2010 - Poeta Eucajus (40 anos)

8
  Ótimo
Denunciar
Para dizer se um filme é bom ou ruim, primeiro é preciso saber do que se trata cada imagem ou quadro do enredo. O que vejo nessas criticas acima são opiniões de verdadeiros analfabetos funcionais, isto é: Sabem ler, mas não sabem interpretar. Ex. A critica de Hudson (claro ele tem apenas 14 anos, é justificável!) que muitos devem compatuar - 1º Vejam em que ano se passa a história ou estória, 2º Saiba um pouco da história Americana, colonização e imigração. Você vai descobrir por exemplo porque Elvis fez tanto sucesso com um ritmo legitimamente negro! Estou falando de ídolos, entendeu? 3º Então poderá entender a cena em que Buggin Out questiona sobre a ausência de negros no quadro da fama. 4º Com todo conhecimento do 1° e 2° passo, entenderá que a cena se justifica, tanto na resposta de Sal como no questionamento de Buggin. O resto todo, a humanidade vem contando através da sua insana história de violência e falta de "compreensão".

16/05/2010 - Luciano Vasconcelos (45 anos)

9
  Ótimo
Denunciar
O filme é excelente. Não por acaso o diretor passou a ser mais conhecido após sua realização. Trata da temática da tolerância social com maestria; claro que utilizando um espaço de grande ocupação por afro-descendentes, como pano de fundo (o tradicional Brooklyn, nova-iorquino); umas das bandeiras do diretor. O "dia mais quente do ano" é uma alegoria bem utilizada para o "caldeirão" social, que caracteriza a relação entre os diferentes habitantes de alguns espaços urbanos; onde a subsistência, os interesses próprios de cada um, os diferentes valores culturais, aumentam a pressão natural da convivência entre pessoas. O filme apresenta os diferentes ângulos destes relacionamentos e um climax que decorre do extremismo das partes; induzindo no espectador uma reflexão honesta quanto à coisa certa a ser feita nestes instantes de tensão. Assim, um show de bola de SPIKE (que protagoniza o filme - é o entregador de pizza), que fornece ótimo material para boas discussões.

25/05/2010 - Carlos Júnio (27 anos)

10
  Ótimo
Denunciar
QUEM NÃO VIU, NÃO LEIA. Alguns comentários acima, mais especificamente os primeiros, expressam opiniões equivocadas de pessoas que não souberam interpretar o filme. Primeiro, em uma das opiniões uma moça diz que Spike Lee incentiva o personagem Mookie (o mesmo Spike Lee) a fazer a coisa certa, e que a coisa certa está no final do filme, a violência. Ora, existe um enorme abismo entre fazer a coisa certa e não precisar as consequências de seus atos. Foi justamente o que ocorreu, Mookie pensou fazer a coisa certa, mas não fez, agiu por ímpeto, por mais que suas intenções fossem corretas, contudo, o desenrolar prova que Lee (diretor) não endossou suas atitudes. Devemos lembrar que o título do filme está no imperativo, "Faça", e o tempo verbal não está no passado, portanto, Mookie não fez a coisa certa, mas deveria ter feito.

03/06/2010 - Marina (23 anos)

11
  Bom
Denunciar
Primeiro é preciso entender o filme para não dizer bobagens, pessoas que não percebem as questões sociais explicitas no filme que o propósito não lembra nem de longe filmes comerciais, e também não é um filme para quem não acredita em racismo ou nunca acreditou e acha que uma invenção da mídia popular e algum em comentários acima disseram que filme aborda questão do racismo de forma superficial, nunca falar da questão racial é superficial.

31/08/2011 - Gabriela (22 anos)

12
  Ótimo
Denunciar
O filme é ótimo porque fala do racismo e o preconceito que os americanos tem contra os latinos e asiáticos que moram nos EUA. Mostra as consequências negativas do racismo e do preconceito para a sociedade. Ótimo elenco e não mostra os EUA de forma estereotipada.

09/12/2011 - Karlitos (39 anos)

13
  Bom
Denunciar
Já assisti o filme mais de uma vez, é um bom filme.

30/03/2012 - Luiz Claudio (39 anos)

14
  Ótimo
Denunciar
Uma obra prima, que meteu o dedo na ferida estabelecida pelo racismo, que mostra uma realidade nua e crua de forma bem humorada. Se o oscar fosse uma coisa seria esse filme com certeza seria premiado.

23/11/2012 - Yara (35 anos)

15
  Ótimo
Denunciar
O filme é ótimo. Penso que mostra as várias faces do preconceito; aquele que se diz vítima, pratica o mesmo erro. Gostei da maneira como os personagens são mostrados sem maniqueísmos, com seus erros e acertos. Em alguns momentos, o filme chega a realmente chega a incomodar, pela dramaticidade de algumas partes, mas faz refletir. Enfim, recomendo.

08/01/2019 - Julio Neto (62 anos)

  Bom
Denunciar
Os que deram uma ou duas estrelas é porque não conhece o trabalho de Spike Lee, pois já no começo de sua carreira ele dirigiu esse ótimo filme.

28/01/2019 - FabioKubrick (39 anos)

  Bom
Denunciar
Lee é um diretor mediano super valorizado, mas concordo com alguns que dizem que esse é seu melhor filme, o filme é divertido em certos momentos, mas se perde em outros. Filme não é para todos, esse tema de racismo ainda estava em alta na época do seu lançamento, hoje em dia já ficou entediante.

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho, mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiter? Sim / Não     Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:

Últimos Visitados

Faça a Coisa Certa (Do the Right Thing)

Copyright © 2019 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.