Share on Google+

Tartarugas Podem Voar

  (Lakposhtha parvaz mikonand)
Sinopse Na fronteira entre Irã e Iraque, semanas antes da invasão do Iraque pelas tropas norte-americanas, num acampamento de refugiados curdos, as pessoas se reúnem para ouvir as notícias da guerra. A figura central desse grupo é Satélite (Soran Ebrahim), um garoto que exerce a liderança entre crianças, jovens e adultos. O filme registra o caos em que essas pessoas vivem, o isolamento e a completa falta de informações relativas à guerra. Agrin (Avaz Latif), uma garota de 14 anos, chega à região com seu irmão e um filho pequeno. Eles, que encontram dificuldade em se relacionar com os outros refugiados, também acabam de passar por uma experiência traumática. Satélite tenta a aproximação, mas quase não há diálogo entre eles. Agrin entra em conflito também com o irmão, que pede que esperem mais um tempo antes de procurarem novo abrigo.

Share on Google+

Informações


Título no Brasil Tartarugas Podem Voar
Título Original Lakposhtha parvaz mikonand
Ano de Lançamento
Gênero Drama
País de Origem Irão / França / Iraque
Duração98 minutos
Direção
Estreia no Brasil 22/07/2005
Estúdio/Distrib. Imovision

Elenco


... Satellite
... Agrin
>> Ver todo o Elenco...


Trailer



Comentários


01/04/2008 - Juliana

1
  Ótimo
Denunciar
Um filme maravilhoso e emocionante. Um verdadeiro "soco" no estômago.

20/07/2008 - Fernando Dias Campos Neto

2
  Ótimo
Denunciar
AS GUERRAS PELA TV - A nossa geração assistiu por duas vezes algo nunca visto. Anteriormente, é claro, apreciou-se nas telas de cinema o bombardeio de Hiroshima e Nagazaki e todo o material posterior divulgado pela imprensa. Mas as guerras do petróleo - as duas delas - assistimos "ao vivo", embora apenas como a sucessão de imagens indistintas, luzes de explosões, sombras e mais sombras... No filme "As Tartarugas podem Voar" o cineasta nos oferece o "zom" da guerra no Iraque desvelando impiedosamente a tragédia. Já não se trata agora de material de percepção imediata e direta, mas nos faz retroagir às imagens da verdade e angústia de uma subjetividade jamais alienável da história do capital e à sua acumulação na área financeira do petróleo. Ontem, ocorreu-me de assistir uma entrevista na TV com Dahr Jamail, um jornalista americano de origem libanesa que penetrou na tragédia de Falluja cidade do Iraque, duramente castigada pela guerra com a visão humanitária de quem não se aliena numa poltrona diante da TV. E observa-se o quanto a realidade é diferente, não só dos "efeitos especiais" da mídia ( hoje uma telemática? ) como das falsas informações divulgadas pelos noticiários do capital. O que nos ensina o filme "As Tartarugas podem Voar " com a equipe infantil de mutilados liderada por Satélite, a desmontar as minas terrestres para sobreviver, é a necessidade de conhecer mais de perto a história e os seus fatos escabrosos que não se resumem ao ataque à torres gêmeas de Nova Iorque. Se faço uma referência ao programa Milênium, cujos horários mudaram ultimamente das faixas mais nobres, é porque representa a boa imprensa, a boa literatura, a crítica do primeiro mundo feita por ele mesmo. Na equipe do Satélite, havia uma menina com o irmãozinho mutilado que transportava consigo o filho do estupro feito por um soldado. Ela acaba por optar por soluções bem tristes. Ao cinema! Fernando Neto.

31/07/2008 - Stela

3
  Ótimo
Denunciar
Filme muito bom, pena que deixa de ser apenas ficção, e sabemos que são as condições reais daquele povo.

08/09/2008 - Paola

4
  Ótimo
Denunciar
O filme é simplesmente fantástico!

11/10/2008 - Ana Lúcia Vasconcelos

5
  Ótimo
Denunciar
Adorei o filme... Maravilhoso, chocante e comovente. Da a medida do terror da guerra insana promovida por Mr. Bush. E seus comparsas. Os atores são ótimos, diretor idem, tudo perfeito. Terrível apenas a situação retratada e as crianças mutiladas que tem que vender restos de minas para os adultos para sobreviverem.

27/05/2010 - Francisco Paulo (55 anos)

6
  Ótimo
Denunciar
Ainda bem que não vi, ainda, nenhum "mala", daqueles que adoram ser do contra, dizendo que o filme é péssimo ou horroroso. Nesse estilo, um dos melhores filmes que vi ultimamente. Recomendo e dou nota 10.

26/08/2010 - Viniciusb (30 anos)

7
  Ótimo
Denunciar
Assista! Vale a pena!

16/11/2011 - Gui (25 anos)

8
  Ótimo
Denunciar
QUEM NÃO VIU, NÃO LEIA. Filme bastante interessante, a menina se matou, pois é tradição daquele povo, pois ela tinha apenas 14 anos e não era casada e já tinha filho, através de um estupro. As minas terrestre lembram cascos de tartarugas, por isso o título do filme, pois realmente aquelas minas podem voar "tartarugas podem voar". Valem a pena ver!

27/01/2012 - Vânder Francisco Moço (46 anos)

9
  Ótimo
Denunciar
Nota 10. Foi o melhor filme dramático que já assisti na vida. Qualquer pessoa sensível e/ou culta adorará o filme.

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho, mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiter? Sim / Não     Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:

Últimos Visitados

A Pedra de Paciência (Syngué sabour, pierre de patience)

Copyright © 2014 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.