Share on Google+

Corações Sujos


Sinopse Corações Sujos é um filme sobre intolerância, fundamentalismo, racismo e amor, baseado no best-seller de Fernando Morais e passado no interior de São Paulo logo depois da Segunda Guerra Mundial. Ele conta a história do imigrante japonês Takahashi, dono de uma pequena loja de fotografia, casado com Miyuki, uma professora primária. Inspirado em fatos reais, Corações Sujos nos mostra a transformação de Takahashi de homem comum em assassino, enquanto sua mulher luta contra o destino, tentando em vão salvar seu amor em meio ao caos e à violência. No Brasil, logo depois da guerra, a imensa população de imigrantes japoneses (a maior fora do Japão) era segregada e reprimida pelo Estado. Para estes imigrantes, oprimidos numa terra estranha, a ideia de derrota na guerra era muito dolorosa. Muitas organizações, alimentadas pela ignorância imposta a eles pelo governo brasileiro, nasceram dedicadas a divulgar a “verdade” da vitória do Japão na guerra e a reprimir e assassinar os “derrotistas” – os “corações sujos”. Takahashi reluta, mas acaba se tornando membro de um destes grupos. A escolha feita por ele, em nome do Espírito Japonês, o transforma também num matador. E Miyuki, sua mulher, nos conta como sua história de amor se perdeu em meio à guerra fratricida - de japoneses contra japoneses - que aconteceu em pleno interior do Brasil.

Share on Google+

Informações


Título no Brasil Corações Sujos
Título Original Corações Sujos
Ano Lançamento
Gênero Drama / Épico / Suspense
País de Origem Brasil
Duração90 minutos
Direção
Estreia no Brasil 17/08/2012
Estúdio/Distrib. Downtown Filmes
Idade Indicativa 14 anos

Elenco


... Takahashi
... Miyuki
>> Ver todo o Elenco...

Trailer



Comentários



  >> Ver todos os Comentários...

23/08/2012 - Elizabet Akico (50 anos)

4
  Não vi
Denunciar
Sou sansei, e nunca imaginei tal coisa, ouvi alguns relatos de minha mãe, dizendo que passou por fase difícil em que o meu avô perdeu tudo, tomara que este filme retrate com fidelidade o espírito japonês.

24/08/2012 - Lis (28 anos)

5
  Ótimo
Denunciar
Amei o filme! Ele me tocou bastante mesmo! Os atores são excelentes (dão um show de interpretação) e fazem você se apegar demais aos personagens. A menininha é linda demais! Ele mexe muito com as nossas emoções, do começo ao fim do filme. Fora que é baseado em fatos reais, o que faz com que a gente pense mais ainda na história!

08/09/2012 - Sílvia (50 anos)

6
  Ótimo
Denunciar
Emocionante, instigante, é admirável como os japoneses demonstram respeito a sua nação, origens e superiores preservando suas tradições. Admiro muito a cultura japonesa.

15/09/2012 - Fátima Rabello de Sá (57 anos)

7
  Ótimo
Denunciar
Adorei o filme, não conhecia essa parte da história da imigração japonesa no Brasil. Cenas emocionantes.

11/10/2012 - Hiroaki (70 anos)

8
  Não vi
Denunciar
Eu li o livro em dois dias faz alguns anos. Meu pai, que veio em 1936 de Hiroshima, plantava algodão e menta em Lucélia. Foi preso pela PM de SP e perseguido pelo "outro lado" pois esses produtos eram exportados para os EUA que estava em guerra contra o Japão. Meu pai era pacifista, foi monge budista no Japão. Para fugir da confusão, foi para uma cidade com poucos japoneses, Itapeva-SP, onde eu me eduquei. Sofri preconceito, pois era "inimigo" do Brasil. Mas o que fazer? O Japão perdeu a guerra; foi muito ousado e até prepotente achando que podia conquistar a Asia! Na escola me xingavam: "Japonês, garantido, pé na bunda e mão no ouvido!" Para os alémães, gritavam : "alémão, batata, come queijo com barata!" Os italianos diziam: "Quem está em guerra é o Mussolini, eu não tenho nada com isso" e se safavam. Eu só me livrei do sentimento de inferioridade e raiva depois de psicoterapia. Hoje entendo tudo com tranquilidade. Procuro entender as ações humanas, em vez de criticar ou julgar, como o grande filósofo Spinoza. Ainda não vi o filme. Vou ver sim.

26/10/2012 - Fabiano (37 anos)

9
  Ótimo
Denunciar
Sr. Hiroki parabéns pela sua história de vida e muto obrigado de compartilhar com a gente um pedacinho dela!

01/11/2012 - Ramon Nakahashi (17 anos)

10
  Ótimo
Denunciar
É bem legal porque trata da história da colonia japonesa no Brasil, com nissei acho que foi realmente retratado a condição que nossos irmãos passaram em um país desconhecido (por eles).

10/02/2013 - André (41 anos)

11
  Ótimo
Denunciar
Excelente filme... Vale a pena assistir. Bem construído tanto na parte técnica quanto no enredo. Eu não conhecia esta parte "suja" da história nipo-brasileira...

23/02/2013 - Sedan75 (37 anos)

12
  Ótimo
Denunciar
Excelente! Produção digna de prêmios! Trilha sonora envolvente. Uma construção perfeita, principalmente se tratando de um filme baseados em fatos reais. O filme é uns 80% em japonês. Se você baixar da net, procure a legenda sincronizada ou você não entenderá nada do filme. Exceto se entender japonês. Recomendadíssimo.

24/04/2013 - Erika Midori (37 anos)

13
  Ótimo
Denunciar
Muito bom mesmo! Qualidade técnica e ótimas atuações. E para quem é da nacionalidade japonesa ou mesmo descendente, acredito que esse filme causará mais impacto ainda, visto tratar de acontecimentos que impactaram sobremaneira toda colônia japonesa da época... Como sansei, já ouvi histórias dos meus avós sobre esse período, e através deles pude vislumbrar um pouco do drama que marcou a história do povo japonês no Brasil! Na tradição japonesa, honra é tudo! Perder a honra perante a sociedade é como perder o motivo para continuar existindo. Para os brasileiros da gema, que não têm nada a ver com os japoneses, talvez seja um pouco difícil de compreender esse estado de espírito dos nipônicos, pois os brazucas têm uma maneira de ver a vida muito mais "light" em questão de honra (olha aí os políticos, por exemplo...). Claro que, no caso organizações mostradas no filme, a questão da honra foi usada erroneamente para justificar seus crimes, assim como acontece com tudo o que é fundamentalista, radical. Parabéns aos integrantes e realizadores do filme!

08/07/2013 - Bruno (10 anos)

14
  Não vi
Denunciar
Não vi, mas eu já vi que vai ser legal.

14/07/2013 - João (71 anos)

15
  Ótimo
Denunciar
Assisti ao filme “Corações sujos” em DVD, baseado no livro do mesmo nome, do escritor Fernando Morais. Narra a saga de um grupo de japoneses que não acredita e não aceita, que o Japão perdera a Segunda Guerra Mundial para os aliados (Estados Unidos), em agosto de 1945, e se dedica a eliminar alguns patrícios (japoneses) que pensam o contrário (os derrotistas ou corações sujos), entre janeiro de 1946 até fevereiro de 1947. Os vitoristas (que acreditavam na vitória japonesa), afirmam que a derrota nipônica é mentira, que é propaganda dos Estados Unidos. Afinal, em 2.600 anos, jamais o Japão fora derrotado. Cerca de 80% da colônia japonesa acreditava na vitória do Japão e apoiava os atos dos fanáticos. A notícia transmitida pelo rádio, além da fala do imperador japonês aceitando a derrota incondicional, trazia um elemento perturbador: ele, imperador, negava ser divino e também a sua imortalidade! Corações sujos é uma história de sofrimento, intolerância, medo, dor e perdas! Ressalta o modo de vida japonês como a honra, correção no modo de agir, tradição. Um filme fiel à cultura nipônica. A reconstituição dos cenários da época são carregados de um realismo impressionante. A cena do ofurô (banho na tina) é antológica. Os diálogos bem elaborados, trilha sonora fantástica, alta carga de dramaticidade e envolvente, densidade emocional, volta no tempo. Cidade cenográfica maravilhosa. São fatos reais ocorridos em Tupã, Bastos, Pompeia, Marília e região, onde se localizava uma enorme colônia de japoneses e descendentes. A película é quase toda falada em japonês, legendas em português, com afamados atores do Japão e alguns brasileiros. A crítica brasileira acatou muito bem esse filme. O Asahi Shimbum, mais importante jornal japonês, saudou o filme como poderoso e magnífico! É interessante lembrar que esse fato histórico ocorrido no Brasil, é pouquíssimo conhecido no Japão, mesmo por historiadores. Nosso país tem a maior comunidade japonesa fora do Japão, no mundo. Li o livro em 2001, agora vi o filme e senti-me na minha infância em Pompeia! O livro é excelente. O filme melhor ainda! Leva-nos a um estado de êxtase. Vale a pena assistir! Curitiba, 14 de julho de 2013.

25/10/2013 - Luiz A B Coelho Jr. (45 anos)

16
  Bom
Denunciar
O filme é meia boca, logicamente como sempre o livro é muito melhor, minha principal crítica fica para o foco no romance, e deixa de lado aspectos políticos e sociais importantes que teriam enriquecido sobre maneira o enredo.

01/05/2014 - Bessa38 (75 anos)

  Ruim
Denunciar
O livro, conta uma história bastante sugestiva, porém, ao passar para o celuloide, não houve a felicidade desejada e o filme, peca por falta de dinamismo. Muito parado, não consegue nunca entrar no clima. A atuação de EDUARDO MOSCOVI, o único ator brasileiro, em papel de destaque, tem uma atuação para não dizer pior, PATÉTICA.

07/09/2015 - Anderocks (40 anos)

  Regular
Denunciar
Bom, poderia ter sido uma grande obra, mas quando vi, nos créditos inicias "globo filmes ", aí a preocupação começou. O filme até estava indo bem, mas focou muito na historinha de amor e deixou, em segundo plano, os fatos principais da história. Infelizmente, virou " novelinha"...

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho, mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiter? Sim / Não     Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:

Últimos Visitados

Corações Sujos (Corações Sujos)

Copyright © 2019 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.