Share on Google+

W.E. - O Romance do Século

  (W.E.)
Sinopse A apaixonante história do rei Edward VIII (irmão do personagem principal de O Discurso do Rei), que abdicou do trono da Inglaterra em nome do amor à Wallis Simpson, americana e divorciada. O caso gerou um grande escândalo na época. O filme, que passou pelos cinemas, foi indicado ao Oscar de Melhor Figurino e recebeu o Globo de Ouro de Melhor Canção Original.

Share on Google+

Informações


Título no Brasil W.E. - O Romance do Século
Título Original W.E.
Ano Lançamento
Gênero Drama / Épico / Romance
País de Origem Reino Unido
Duração119 minutos
Direção
Estreia no Brasil 09/03/2012
Estúdio/Distrib. PlayArte Pictures

Elenco


... Wally Winthrop
... Wallis Simpson
>> Ver todo o Elenco...

Trilha Sonora


“Karin”Escrita por Christoph Clöser, Morten Gass
Interpretada por Bohren & Der Club of Gore
Publicada por Manuskript © (P) Bohren & Der Club of Gore released under exclusive license by [Pias] Recordings 2008
“Manteca”Composta por Dizzy Gillespie (ASCAP), Walter Fuller (como Walter Gil Fuller) (ASCAP) e Luciano Pozo Gonzalez (ASCAP)
Interpretada por Dizzy Gillespie e His Orchestra
Publicada por Music Sales Corporation (ASCAP) e Twenty-Eight Street Music c/o Boosey & Hawkes Inc. (ASCAP)
Publicada por Seemsa (SGAE)
Master
>> Ver toda a Trilha Sonora...

Trailer



Comentários


28/02/2012 - Gustavo (16 anos)

1
  Ótimo
Denunciar
Bom demais... É o romance do século mesmo!

11/03/2012 - Andréa (23 anos)

2
  Ótimo
Denunciar
É lindo e muito bem feito... Mais uma prova de que nem sempre a crítica sabe o que fala, ou melhor, geralmente a opinião da crítica e do publico são completamente diferentes...

12/03/2012 - Sérgio Sarmento (58 anos)

3
  Bom
Denunciar
Assisti nesta tarde NO CINEMA. Olha é o primeiro filme que assisto com a direção de MADONNA. Pois o primeiro "SUJOS E SÁBIOS" de 2008 é um pouco fantasma para mim. Admiro muito esta ARTISTA, é isto mesmo, em maiúscula. Prestem bem atenção! A mulher se envolve em vários projetos. E se saí relativamente bem em todos. Digo isto, pois
este seu segundo filme não chega a ser grande
pois tem várias erros. A começar pelo roteiro
naquele vai e vem. A vida de Wallis e Edward
e mostrada muito bem. Mas o casal da atualidade que é Wally e William e muito ruim. Me custa muito não falar bem de filmes. Mormente de uma batalhadora como MADONNA. Seus
pontos bons são inegavelmente a trilha musical
e as atrizes. Adoro a atriz inglesa ABBIE CORNISH (1982) que é sem dúvida um dos rostos mais lindos do cinema. Assisti todos os seus
filme, perto de oito, mas no meu modo de ver
o seu melhor trabalho foi em CANDY (2006) onde
fazia o papel de uma jovem pintora e drogada. Mas para minha surpresa quem " rouba " o filme
é uma atriz, também inglesa, que não conhecia chamada ANDREA RISEBOROUGH (1981). Uma bela e talentosa atriz! No mais e apesar de ser um filme quase amador de MADONNA recomendo pela música, atrizes, mas principalmente pelos vestidos da atriz que fez o papel da década de 30/40 do século passado, chamada Wallis vivido por Andrea Riseborough.

24/04/2012 - Cris (29 anos)

4
  Bom
Denunciar
Interessante. Apesar de muitas vezes parecer mais um comercial de cigarro. Tinha a impressão que a qualquer momento apareceria a advertência do Ministério da Saúde. Incrível, em pleno ano 2011, ainda ter alguém que considere o ato de fumar elegante...

04/05/2012 - Sérgio Sarmento (58 anos)

5
  Bom
Denunciar
O filme da MADONNA é um belo programa. Sem dúvida! Mas queria me reportar sobre o fumo no
filme. É claro que deploro o cigarro. E falo
com toda a razão, pois fumei. Pasmem! Por 29 anos e é sem dúvida uma das melhores coisa que fiz na minha vida é ter parado com o cigarro. Mas o filme da MADONNA não se passa em 2011 e sim nas décadas de 30/40 e 50 do século passado. Quando o fumo era totalmente incentivado. O vicio era "uma praga" mesmo. Portanto e para o bem da verdade a vida de Wallis e Edward era do cigarro mesmo. MADONNA estava certa. É tudo uma questão de HISTÓRIA
MESMO. Por favor vamos nos ater nas qualidades
artística do segundo filme da ARTISTA, em maiúscula mesmo, MADONNA e deixar as teses
para uma outra ocasião mais apropriada. Ficaria, com certeza, muito agradecido. Pois
acima de tudo ADORO CINEMA e gostaria de ler
um comentário sobre uma boa obra cinematográfica. Como o filme em pauta. Grato!

07/07/2012 - Sueli (40 anos)

6
  Ótimo
Denunciar
EXCELENTE! As músicas se encaixam perfeitamente. A história foi contada de forma elegante.

09/07/2012 - Henrique (54 anos)

7
  Regular
Denunciar
Não gostei, apesar de uma boa produção, figurinos e trilha sonora o filme é confuso e a história não me prendeu no seu "vai e vem" de épocas.

13/08/2012 - Osmar (55 anos)

8
  Regular
Denunciar
Também achei confuso, principalmente o começo do filme, vale a pena assistir, porque e interessante e prende a atenção, pra saber como será o final, mas minha nota é 5,5... Bem regular...

19/08/2012 - Gustavo Espeschit (30 anos)

9
  Bom
Denunciar
Escrever sobre algo que Madonna faça para mim é um pouco complicado pelo simples fato de ser fã da mesma, mas nada me impede uma imparcialidade e um olhar totalmente voltado a admirar o trabalho dela, seja em qual área que for, com alguma criticidade. Talvez seja por isso que eu tenha demorado um pouco a postar sobre este filme. O assisti com uma amiga em BH (viagem feita exclusivamente com este propósito) já tem uma semana, em uma sessão praticamente vazia em um shopping do centro da cidade. Demorei a escrever sobre porque talvez tenha querido digerir mais um pouco, criar um conceito, analisar sob outros prismas, seja em cenas picadas lançadas pela Internet ou seja analisando o trailler ou lendo outras críticas à respeito depois de ter assistido ao filme. W. E (que deve ser lido com as letras separadamente e não como uma palavra só, já que se refere a Wallis e Edward) conta a tão conhecida história do rei Eduardo VI (James Darcy), único monarca inglês a abdicar do trono e Wallis Simpson (Andrea Riseborough), americana, divorciada uma vez e casada, que foi o motivo de tal abdicação ao trono, causando um escândalo no império britânico, o primeiro neste século, que veio a ser repetido um pouco depois com o casamento circense de Charles e Diana. Como segunda narrativa do filme temos a história contemporânea de Wally Winthrop ( Abbie Cornish ), uma mulher com um casamento totalmente fragilizado com um psiquiatra famoso que a ignora e mal trata e que é apaixonada pela história de amor entre Wallis e Edward. O filme comeca então com uma tomada da casa de Wally, passando pelos corredores da casa com uma narrativa sobre o casal central, até chegarmos a vê-la sentada em uma mesa posta para o jantar, sozinha. Essa primeira cena já mostra o estado frágil dessa mulher, que busca na fantasia do casal central, uma saída para sua própria existência, se identificando com a Wallis e tentando, até mesmo, incorporá-la. Ela vai para uma exposição na famosa Sotherby´s, casa de leilão nova iorquina, e o filme começa a se desenrolar em flashbacks. O roteiro, escrito por Madonna e pelo seu colaborador de outros trabalhos Alak Keshishian, com quem a estrela já havia trabalhado em seu documentário Na Cama com Madonna, começa então a costurar a história dessas duas mulheres frágeis, reprimidas e que procuravam somente um ideal na vida: ser feliz. Acho que essa segunda história é um pouco dispensável e torna o filme um pouco monótono, apesar de algumas das cenas mais impagáveis do filme serem protagonizadas por Oscar Isac, um ator guatemalteco que faz o seguranca russo da casa de leilão que acaba se apaixonando por Wallis. Se o filme focasse somente na história central, talvez seria um pouco mais dinâmico e Madonna teria mais coisas para explorar como o fato por exemplo do casal ser considerado nazista e ter tido vários encontros com Hitler. Mas seu objetivo não era fazer um filme político ( algum diretor poderia ter essa ideia e poderia se dar muito bem se não cair nos clicês excessivos dos filmes políticos sobre nazismo ) e sim contar uma história de amor verdadeiro, que ultrapassa qualquer barreira e abre mão de várias coisas. Apesar de tentar mostrar do ponto de vista feminino, o faz muito tarde na narrativa ( o lance das cartas de Wallys poderia ser revelado um pouco mais cedo ). O Rei abdicou do trono, mas e Wallis? Do que ela abdicou? Quais consequências sofreu por causa desse grande amor? Essa é a pergunta que Madonna faz durante o filme, e é a resposta que espera do seu público. Não irei falar aqui do magnífico figurino de Arianne Philips, indicado ao Oscar na categoria deste ano, e nem da trilha sonora majestosa de Abel Korzeniowski que é quase uma personagem a parte do filme. Isso já foi muito discutido em outras resenhas sobre o mesmo. O que é interessante focar é que, quem conhece tanto a carreira quanto a vida de Madonna vai poder perceber que muita coisa está ali, na imagem dessas duas personagens. A gana de mudar seu próprio destino. Os abusos e violências sofridos. A não submissão ao homem ( a cena de briga do casal nova iorquino me remeteu a ela e Sean Penn se estapeando em algum cômodo da casa onde moravam ) e a mensagem está lá, como na música Expres Yourself: Don´t go for second best baby. Não comentarei muito sobre o destino das personagens para não estragar a surpresa de quem ainda não assistiu ao filme. O interessante é assistir ao filme sem o preconceito dele ser dirigido por Madonna, que não é uma cineasta. É tentar entrelaçar a história e se deixar tocar por ela. Tivesse tido um retoquezinho aqui, outro ali, talvez tenha ficado, como diz a música tema, uma Masterpiece. Vale o ingresso com certeza. Não decepciona, mas também não surpreende.

31/08/2012 - Maria do Carmo (46 anos)

10
  Ótimo
Denunciar
Achei o filme ótimo. Figurino, fotografia, interpretações e o modo como as cenas foram filmadas. Tudo muito maravilhoso. As atrizes, tanto a que faz a Wallis Simpson (Andrea Riseborough), quanto a que faz a contemporânea - 1998 (Abbie Cornish), têm performances excelentes. As cenas surreais em que uma personagem conversa com a outra, eu achei sensacional. A elegância de Wallis Simpson é inquestionável. Deu para perceber que ela era uma mulher muito chique. E isso, a atriz soube passar lindamente. Fiquei apaixonada pelo filme. Já assisti duas vezes e vou querer assistir mais vezes. Madonna está de parabéns pelo trabalho. Recomendo.

09/02/2013 - Alessandro (29 anos)

11
  Bom
Denunciar
Quase virei fumante vendo o filme, tirando o excesso de cigarro o filme foi bom.

05/07/2013 - Adelar (49 anos)

12
  Bom
Denunciar
O filme de madonna agrega componentes do bom cinema, mas, ao mesmo tempo possui aspectos que enfraquecem a dinâmica do romance, a ideia de tornar duas histórias em épocas diferentes paralelas, rouba muito espaço da história real e da ênfase a história fictícia que por sinal é muito fraquinha. Abbie Cornish é linda e muito sensual, mas sua atuação não consegue uma definição entre a linha do drama e da alegria conseguindo ser apenas (soturna). Entretanto como é sabido o filme possui um excelente figurino (candidato ao Oscar 2012) trilha sonora premiada (venceu o Globo de Ouro de melhor canção original para "Masterpiece".) bela fotografia, e uma atuação excelente de Andrea Riseborough que corporifica wallis Simpson de maneira impecável. Vale conferir o filme, mas ele não emociona.

09/03/2014 - Nm (28 anos)

  Regular
Denunciar
O início do filme é meio cansativo e da até uma vontade de desistir... Mas depois fica legal!

18/11/2015 - Alex (36 anos)

  Ótimo
Denunciar
Interessante o comentário de Sérgio Sarmento ao dizer que ABBIE CORNISH é um dos rosto mais lindo que ele já viu no cinema, como de fato quando vi esta mulher neste filme fiquei impressionado, é incrível como o cinema muda as pessoas, seja face ou corpo, porém procurando mais sobre ela e vendo centenas de fotos, percebi que ela ficou "implacavelmente" linda para este filme. Viva Hollywood, quer ficar bonito(a) vai pra lá. Rsrsrs.

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho, mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiter? Sim / Não     Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:

Últimos Visitados

W.E. - O Romance do Século (W.E.)

Copyright © 2020 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.