Share on Google+

Tudo e Todas as Coisas

  (Everything, Everything)
Sinopse Tudo e Todas as Coisas narra a improvável história de amor de Maddy, uma garota de 18 anos, inteligente, curiosa e cheia de imaginação, vítima de uma doença raríssima que a impede de abandonar a proteção do ambiente hermeticamente fechado no qual vive dentro de sua casa, e Olly, o vizinho da casa ao lado que não está disposto a deixar que a condição de Maddy os afaste um do outro. Maddy está desesperada para experimentar o desejado e estimulante mundo além das paredes de seu quarto – e a promessa de seu primeiro amor. Os olhares trocados apenas pelo vidro das janelas e as conversas por textos criaram um profundo laço entre Maddy e Olly, que os leva a arriscar tudo para ficarem juntos… ainda que eles possam perder absolutamente tudo.

Share on Google+

Informações


Título no Brasil Tudo e Todas as Coisas
Título Original Everything, Everything
Ano Lançamento
Gênero Drama
País de Origem EUA
Duração96 minutos
Direção
Estreia no Brasil 15/06/2017
Estúdio/Distrib. Warner Bros. Pictures

Elenco


... Maddy Whittier
... Olly Bright
>> Ver todo o Elenco...

Trilha Sonora


“Night Drive ”Escrita por Courtney Salter, Justin Bryant e Joe Brooks
Interpretada por Ari Lennox
Contains a sample of "You Light Up My Life"
Interpretada por Jean Carn
“Howling ”Escrita por Ry Cuming
Interpretada por Ry Cuming (como Ry X)
>> Ver toda a Trilha Sonora...

Trailer



Comentários


14/06/2017 - Lucia Maria Miranda (65 anos)

  Não vi
Denunciar
... Do jeito que a tal 7a. Arte vai, se eu me distrair um pouco, daqui a pouco não irei ao cinema ver nada e eu que gosto tanto, mas fazer o quê, os lançamentos na sua maioria andam uma lástima ou então é 3D ou então é dublado. Assim sendo e de acordo com o andar da carroça, pretendo ver esse, mesmo que digam que o longa foi feito para o time juvenil apaixonado, mas reza o muito sábio ditado de que não tem tu, vai tu mesmo e filme que implica em caras bombados de corpo, mas o cérebro deve de ser bastante atrofiado e com o galã de vizinhos, isso é, galã para alguns, opto então por algo assim mais light e onde com certeza me decepcionarei bem menos, esperando aquela produção bombástica e no final das contas, em geral, a grande maioria mais parece ter saído de algum sarcófago e atados em tiras.

15/06/2017 - Lucia Maria Miranda (65 anos)

  Ótimo
Denunciar
... Filmezinho adorável! Reitero > a-do-rá-vel! Não tem zumbi, não tem família esquisita, não tem múmia, não tem mulher amazona, não tem efeitos especiais, não tem explosões, não tem intrigas, não tem homens musculosos com cérebro do tamanho de ervilha, não tem piratas. Independente disso e talvez por causa disso, é que se torna um filmezinho ímpar, doce, suave, cândido, você não vai ao cinema esperando aquela mega híper produção e sai chateado e encanado. Ótimo para desopilar as ideias, penso até que desopila o fígado também. Se você está interessado em ficar apenas ali na poltrona sem ter medo e precisar sair correndo, sem necessidade de 1 ou 2 cochilos, sem ficar esperando o tempo passar e o tempo não passa nunca, se ainda há doçuras no seu moto próprio, assista, eu acredito que não vai se arrepender.

19/06/2017 - Sérgio Sarmento (63 anos)

  Ruim
Denunciar
Assisti NO CINEMA, nesta data, quando de sua estreia em nível nacional. Olha! Que filmezinho! E eu continuo: Que coisinha mais raso para nossas inteligências, cidadão. Na real tudo é muito bonitinho nesta coisa. Tudo é bem feito para agradar um segmento de espectador adolescente e inocente. Não vemos um aprofundamento de nada. A diretora canadense afrodescendente Stella Meghie perdeu uma linda oportunidade de fazer um estudo lindo sobre nossa finitude como seres humanos. O argumento daquela doença, que pensamos horrível, só serve para enganar os incautos que o assistem. A obra está na altura de filmes como A Culpa é das Estrelas (2014) e que tem comentário meu, é claro, no site IF em 06.06.2014. Mas acredito que este filme atual é mais inferior a aquele de 2014. Só não darei um péssimo para este filme, pois adoro a atriz Amandla Stenberg que aprendi a ama-la nos sensacional filme que participa como coadjuvante que é: Como Você é (2016) e com critica entusiasmada, surpreendente e apaixonada minha em 09.12.2016. Este sim um filme lindíssimo e... Sério. Coisa que de maneira alguma este Tudo e Todas as Coisas (2017) não é. Poderá ser tudo menos. Mas uma coisa os dois tem uma semelhança. É a de que ambos não são visto por ninguém. Coisa que só dois segmentos nesta sociedade perdem. Um é o excelente filme Como Você é. É o outro são aqueles que vão, realmente, AO CINEMA. Por perderem uma obra de raríssima exceção. Mas só posso lamentar todo este estado de coisas. Cruz credo!

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho, mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiter? Sim / Não     Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:

Últimos Visitados

Tudo e Todas as Coisas (Everything, Everything)

Copyright © 2017 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.