Share on Google+

A Forma da Água

  (The Shape of Water)
Sinopse Década de 60. Em meio aos grandes conflitos políticos e bélicos e as grandes transformações sociais ocorridas nos Estados Unidos, Elisa, zeladora em um laboratório experimental secreto do governo, conhece e se afeiçoa a uma criatura fantástica mantida presa no local. Para elaborar um arriscado plano de fuga, ela recorre a um vizinho e à colega de trabalho Zelda.

Share on Google+

Informações


Título no Brasil A Forma da Água
Título Original The Shape of Water
Ano Lançamento
Gênero Drama / Aventura / Romance
País de Origem EUA
Duração123 minutos
Direção
Estreia no Brasil 01/02/2018
Estúdio/Distrib. Fox Filmes
Idade Indicativa 16 anos

Elenco


... Elisa Esposito
... Richard Strickland
>> Ver todo o Elenco...

Trilha Sonora


“La Javanaise ”Escrita por Serge Gainsbourg
Interpretada por Madeleine Peyroux
“You'll Never Know ”Música de Harry Warren
Letra de Mack Gordon
Interpretada por Alice Faye
>> Ver toda a Trilha Sonora...

Trailer



Comentários



  >> Ver todos os Comentários...

26/01/2018 - Lucas Fera (21 anos)

  Bom
Denunciar
"Longa de fantasia não exagera e entrega uma estética gratificante, com vários Oscars garantidos". Esteticamente é um filme bonito, mas não achei essa obra prima toda. Vai ver que não manjo muito do Cinema de Del Toro. A ambientação é bem melancólica e solitária, assim como os personagens. As atuações são muito boas, e o destaque é o Michael Shannon que consegue ser um fdp odiável mesmo. A trilha sonora é bacana, e a fotografia é bem gratificante. Além disso, por ser um filme de fantasia, não tem nada de exagero. É simples e tudo na medida do possível. Se for pra ganhar alguns Oscars, que seja para Melhor Atriz, Figurino ou até mesmo Fotografia.

28/01/2018 - Papik (34 anos)

  Regular
Denunciar
O filme é meio louco, meio bobo, diferente. Tem 2 horas de duração, ficaria melhor com 30 minutos menos. Não é filme para ganhar o Oscar não.

29/01/2018 - Anderson (41 anos)

  Regular
Denunciar
Esperava mais desse filme que tinha tudo pra dar certo, mas entre ficção, poesia, nostalgia e classicismo, a história se tornou surreal demais sacrificando um projeto promissor. Uma pena...

30/01/2018 - Ana Clara Spinner (28 anos)

  Regular
Denunciar
O filme é bem feito, todos trabalham muito bem. A história é quase que para crianças. Não é filme que vai ganhar o Oscar de melhor filme. Posse ser que ganhe outras categorias. Por enquanto estou achando “Três anúncios para um crime” melhor. Vou assistir os outros.

02/02/2018 - Rene (45 anos)

  Ótimo
Denunciar
Filme belíssimo que fala sobre solidão e exclusão social e uso como pano de fundo a fantasia. Discordo totalmente dos comentários anteriores que provavelmente não entenderam a essência do filme. Guilhermo Del Toro dirigi com maestria e acompanhado pela belíssima trilha sonora de Alexander Desplat, o filme narra a história de um romance entre uma surda e uma criatura aquática. Mas o filme é de um sensibilidade que nos emociona e claro isso se deve a excelente atuação de Sally Hawkins. Merecida indicação, filmaço.

02/02/2018 - Julia King (18 anos)

  Ótimo
Denunciar
Lindo! Uma espécie de fábula nos anos 60.

05/02/2018 - Sérgio Sarmento (64 anos)

  Ótimo
Denunciar
Assisti NO CINEMA, é claro, nesta data, quando de sua estreia no último dia primeiro. E se existe realmente filmes para se assistir (... E existe vários) em tela grande (cinema) este, sem dúvida, é o grande filme. Pois na televisão perde sua "grande" grandiosidade. Olha! Bom e sensível filme do mestre mexicano Guillermo del Touro. E que é o filme que poderá lhe dar seu primeiro Oscar de direção. E se levar, pasmem, será o quarto troféu dado para um mexicano nos últimos cinco anos. O primeiro foi para Alfonso Cuarón em 2014 por Gravidade. E em 2015 para Alejandro González Inarritu por Birdman e em 2016 por O Regresso. E depois, gente, parece que o diretor Guilhermo volta aos bons tempos quando realizou filmes e de passagens históricas como na Guerra Civil (1936/1939) espanhola e que foi A Espinha do Diabo (2001) e O Labirinto do Fauno (2006) que para este "crítico resenhista amador" (com muito orgulho, diga-se de passagem) é e continua sendo sua obra-prima, na sua vasta e qualificada cinematografia. Desta feita seu filme atual é novamente de época e se passa em 1962 em plena Guerra Fria entre americanos do norte e soviéticos. É neste momento que roteiro cria e desenvolve soberanamente um melodrama entre duas pessoas invisíveis (esquecidas socialmente). Destacando, neste caso, uma faxineira muda chamada Elisa e um homem anfíbio vivido curiosamente pelo ator Doug Jones. Mas compondo em importância por uma amiga e colega de faxina e negra Zelda (Octavia Spencer) e um pintor gay (que praticamente tem que viver à sombra) Giles (Richard Jenkis). Portanto são pessoas simples e o que diretor faz uma analise sócio política muito oportuna. É mais um filme de tema que o mexicano Guilhermo Del Toro trabalha e nos joga em um conto de fadas perfazendo com isso uma deliciosa e inesquecível fabula. Aliás já escrevi aqui no próprio site IF que este diretor é o melhor de todos ao passar para nos, espectadores, um notável equilíbrio entre fantasia e realidade. E com isso sua direção de arte sempre terá um enorme destaque com sua maneira de filmar. E este filme A Forma da Água sobressai com uma belíssima produção sendo indicado na festa do Oscar da noite de 04 de março vindouro em 13 categorias. Inclusive melhor filme, direção e atriz. Aliás a britânica e talentosa Sally Hawkins representa magistralmente ao se apaixonar ( e nisso que encontramos a grande fabula) por uma criatura anfíbia, mas de bom coração. Provando, mais uma vez, que a sensibilidade nas mulheres poderá ter desfechos bem ao gosto do amor. O mais curioso é que os três principais atores estão concorrendo aos prêmios Oscar em suas categorias. O filme também é pontuado por filmes clássicos norte americanos. Aliás o apartamento onde mora nossa heroína é na parte de cima de um espetacular CINEMA, mas que sintomaticamente vive sempre "às moscas". Não posso esquecer da trilha sonora magnifica. Uma música incidental totalmente comandada por um grande maestro francês e famoso por suas trilhas DE CINEMA chamado Alexandre Desplat. Filmado em estúdios no Canadá e na cidade de Toronto. Enfim e definindo! É filme, como todas as obras do senhor Del Toro, plasticamente perfeita, e daí minha clara e definitiva indicação, que um tipo de programa como esse, deverá sempre ser assistido EM CINEMA. Pois do contrário perderemos suas enormes qualidades como obra cinematográfica.

05/02/2018 - Carolina (40 anos)

  Bom
Denunciar
O filme é si é lindo, chega a ser poético, especialmente, no final, mas tem erotismo demais desnecessariamente. Especialmente a cena do chefe do laboratório com a mulher dele não acrescenta NADA de especial pro filme! Me deu a impressão de que jogaram aquele lixo de cena só pra causar e dizer pro povão "Ó, tem sexo no filme, viu?" Como se já existissem dezenas de "50 tons de cinza" e outros filmes tais feitos pra agradar o tipo de público que gosta disso! Agora, falando sério... Porque não se ativeram ao relacionamento da Elisa e do monstro, QUE ISSO SIM ERA lindo? Porque mostrar aquelas cenas tão nojentas? POR QUÊ?

08/02/2018 - Lucia Maria Miranda (65 anos)

  Ótimo
Denunciar
... Ótimo, adorei, perfeito na reconstituição dos anos 60, uma linguagem poética dificílima de se encontrar hoje em dia, um filme feito de encomenda para todo aquele que se sente excluído de algum modo e de algum jeito na sociedade em que vive. Interpretação ímpar da Elisa Esposito pela atriz Sally Hawkins, se não vir a ganhar o Oscar mês que vem, penso que será um susto e um espanto.

11/02/2018 - Welinton (38 anos)

  Ótimo
Denunciar
Belíssimo filme, bela direção e fotografia. O filme consegue prender do início ao fim. Filme envolvente nota 10. Atriz principal que interpreta uma muda faz por merecer a indicação ao Oscar 2018 de melhor atriz e acho que Del toro também de melhor direção e se ambos ganharem não será em vão. Assistam vale a pena.

12/02/2018 - Robson (58 anos)

  Ótimo
Denunciar
Mais um ótimo filme de Guillermo del Toro. História fantasiosa, que é seu estilo (A Colina Escarlate, O Labirinto do Fauno). Atores ótimos, bela produção da época.

13/02/2018 - Papik (34 anos)

  Regular
Denunciar
O filme é bobo, meio infantil. Gostei da atuação da mudinha e da criatura aquática. Só. Não leva a estatueta de melhor filme.

16/02/2018 - Julio Simi Neto (61 anos)

  Regular
Denunciar
Numa pegada do tipo Disney em "Bela e a Fera", este filme do diretor Guilhemro Del Toro é bem feito e ideal aos apreciadores do bom romance em especial para as mulheres. As atuações de Sally Hawkins e do ótimo Richard Jenkins convence, mas não sei aonde eles tiraram 13 indicações para o Oscar de 2018.

18/02/2018 - Inês (39 anos)

  Bom
Denunciar
Bom filme de fantasia. Adorei a trilha sonora.

21/02/2018 - Donovan Leitch (69 anos)

  Regular
Denunciar
Se este filme fosse dirigido pela Zé da esquina ninguém teria feito o alarido que aconteceu. Estoria tola, sem nexo, sexo com a criatura, filme muito bobo. Só vale a trilha sonora este filme concorrer a tantos Oscars.

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho, mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiter? Sim / Não     Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:

Últimos Visitados

A Forma da Água (The Shape of Water)

Copyright © 2017 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.