Share on Google+

Quanto Vale Ou É Por Quilo?


Sinopse Adaptação livre do diretor Sérgio Bianchi para o conto "Pai contra Mãe", de Machado de Assis, Quanto Vale ou É Por Quilo? desenha um painel de duas épocas aparentemente distintas, mas, no fundo, semelhantes na manutenção de uma perversa dinâmica sócio-econômica, embalada pela corrupção impune, pela violência e pelas enormes diferenças sociais. No século XVIII, época da escravidão explícita, os capitães do mato caçavam negros para vendê-los aos senhores de terra com um único objetivo: o lucro. Nos dias atuais, o chamado Terceiro Setor explora a miséria, preenchendo a ausência do Estado em atividades assistenciais, que na verdade também são fontes de muito lucro. Com humor afinado e um elenco poucas vezes reunido pelo cinema nacional, Quanto Vale ou É Por Quilo? mostra que o tempo passa e nada muda. O Brasil é um país em permanente crise de valores.

Share on Google+

Informações


Título no Brasil Quanto Vale Ou É Por Quilo?
Título Original Quanto Vale Ou É Por Quilo?
Ano Lançamento
Gênero Drama
País de Origem Brasil
Duração110 minutos
Direção
Estúdio/Distrib. Versátil
Idade Indicativa 14 anos

Trailer



Comentários


14/02/2006 - Luís Gustavo Eickhoff

1
  Ótimo
Denunciar
O filme é excelente. Traz uma abordagem riquíssima da questão social no País, da identidade nacional e de como a imagem do Brasil é vendida para a captação de recursos. Um filme muito intrigante e polêmico, que deve ser visto com olhos muito atentos para não se perder nenhum detalhe! Ótima fonte para formadores de opnião e educadores.

09/09/2006 - rosemvilela@hotmais.com

2
  Ótimo
Denunciar
O filme interessantíssimo, deixou agonia ao ver as torturas a que eram submetidos os escravos, não tinha conhecimento das máscaras. Esquisito, mas fiquei torcendo pelo seqüestrador, e amando o que aconteceu ao seqüestrado, pode?

26/02/2007 - Leigy Alves

3
  Bom
Denunciar
Eu achei que tem mais uma coisa ligada ao serviço social. O autor não dá idéias de como resolver o problema e só faz mostrar como é a realidade... é interessante.

07/03/2007 - Solange

4
  Ótimo
Denunciar
O filme é muito bom. Assisti em sala de aula e vi que a realidade é cruel mais é essa. Convivemos com isso todos dias. Sei que existem pessoas preocupadas com a desigualdade social, mas uma andorinha só não faz verão. Os grupos, as grandes empresas quando vêm se preocupar com essa causa é porque tão querendo algum retorno. Vamos praticar o bem sem olhar a quem! Pode ter certeza de que iremos viver num mundo melhor. Meus parabéns e Fiquem com DEUS.

02/05/2007 - Juliana Cavalcante

5
  Ótimo
Denunciar
Nossa esse filme me surpreendeu demais, porque nunca tinha visto uma coisa tão assimilada a outra ao que se refere os períodos de tempo em que ocorrem as histórias de escravos, empresários, bandidos... Eu assisti na aula de Sociologia na faculdade, e realmente o talento deste filme foi ótimo.

13/06/2007 - Roberta

6
  Ótimo
Denunciar
Este filme mostra realmente a realidade do nosso país. Não sei se ficou claro para todos, mas o Estado não aparece em nenhum momento do filme, este esta totalmente omisso a questão social.

20/08/2007 - Marcela Brito

7
  Ótimo
Denunciar
Tive contato com filme em um curso pré-vestibular comunitário, onde temos aulas de CCN (cidadania e consciência negra) "um grande privilégio". Dentre os aspectos, políticos, econômicos, social e étnico racial, pude observar o quanto as políticas públicas de cotas raciais é extremamente fundamental. O acesso do nosso povo hoje as universidades públicas através do sistema de cotas é muito criticado,mas é uma forma de reparação às dores geradas aos nossos ancestrais.

28/08/2007 - Valcir França

8
  Ótimo
Denunciar
Assisti na faculdade, infelizmente retrata a realidade em que vivemos, a "vida" para muitos é somente um objeto que pode ser negociado de qualquer forma. Isso não é ficção é real. Parabéns! Deus os abençoe.

30/08/2007 - Ivan

9
  Ótimo
Denunciar
Nem tinha conhecimento do filme, graças a um professor do curso tivemos o prazer de ver o filme para fazer um trabalho, mostra a outra face da sociedade, que ao invés de ajudar quem precisa, só usa a classe pobre para conseguir seus próprios objetivos que é lucrar. Ótimo filme.

31/08/2007 - Luanna

10
  Ótimo
Denunciar
O filme retrata a nossa dura realidade... Infelizmente é essa a realidade do nosso mundo em que vivemos... Um país injusto e cruel... Parabéns pelo filme ele é muito bom!

02/09/2007 - Mirian

11
  Ótimo
Denunciar
O filme é simplesmente maravilhoso criticamente, consegue fazer uma analogia da sociedade medíocre em que vivemos infelizmente a realidade é essa, maravilhoso.

06/09/2007 - monimuniz@hotmail.com

12
  Ótimo
Denunciar
Assisti a poucos dias na faculdade, excelente, nunca assisti a um filme que me deixasse tão intrigada e que me fizesse refletir tanto a cerca da sociedade em que vivemos. Retrata com muita clareza a banda podre de uma sociedade hipócrita e cruel que trata as minorias como se fossem lixo, e passa por cima como um rolo compressor sem dó nem piedade, eliminando todos e tudo o que se faz obstáculos aos seus ilegais interesses. Gostaria que toda a sociedade brasileira assistisse a esse filme e parasse para refletir sobre a forma desrespeitosa e enganosa como somos tratados. Ótimo filme.

16/09/2007 - lelehistoria@hotmail.com

13
  Ótimo
Denunciar
Tendo em vista que nos últimos dias as políticas públicas tem propagado a importância da diversidade racial e o combate ao racismo, esta obra de Sergio Bianchi traz a tona que muitas coisas após a abolição em 1888 não mudou. Podemos destacar que o "papel de parede" mudou, mas as relações sociais não. Fazendo um resgate histórico vamos perceber que não houve nenhuma política social de inclusão após a abolição para o escravo (se é que podemos entender que a lei áurea acabou com a escravidão). O que ocorreu? Substituição em massa da mão de obra escrava, o Brasil adotou medidas de imigração e "libertou" os escravos, engraçado bonzinho estes grandes proprietários de terras não é? Sendo assim, fica evidente que o negro ficou a margem da sociedade e a sua mistura gerou os afro-descendentes e ficou a marca da característica brasileira as misturas. E quando olhamos a nossa volta quem são os menos favorecidos? e ainda há aqueles que criticam as cotas e a distribuição de terras para os remanescentes de quilombos contemporâneos. Assim, este filme vem para mostrar claramente que ainda há escravidão mesmo que em um outro contexto mas que seu fim é o mesmo, explorar os menos favorecidos e utilizar programas sociais para super faturamento. Este é o nosso Brasil, marcado pela sociedade escravocrata desde o início, porém devemos realizar debates, conscientizar e fazer o que o filme faz, chamar para a reflexão. Excelente obra que deve ser propagada, vista e anunciada a todos. Obrigada, Alessandra Neres.

18/09/2007 - Tânia Capeletti

14
  Ótimo
Denunciar
Filme maravilhoso! Corajoso! Mostra que tudo acontece desde muito tempo! A classe dominante continua explorando o povo, o trabalhador! O capitalismo que humilha e constrange!

19/09/2007 - Rejiane Angela

15
  Ótimo
Denunciar
O filme é muito bom, ajuda a gente a entender um pouco mais sobre as desigualdades e como era no Brasil na época do escravismo. Enfim, resumindo, o filme é ótimo e eu recomendo pra quem ainda não o assistiu.

28/09/2007 - Eliana Paula

16
  Ótimo
Denunciar
Infelizmente são poucos os autores brasileiros que se preocupam em mostrar essa dura realidade por que passou o negro no Brasil e que ainda passa até hoje, mesmo a mídia dizendo que o racismo foi instinto. Muito bom!

29/09/2007 - Kaena

17
  Ótimo
Denunciar
Minha professora de Redação pediu para assistirmos esse filme, e após faríamos uma redação! Fiquei muito triste com cenas que vi, o filme nos mostra a verdadeira cara do povo brasileiro, que pensa que deixaram de ser escravos, mas na verdades somos escravos até hoje. Mostra também que muitos desses dinheiros investidos nas ONGs poderiam está tirando milhares de crianças nas ruas e diminuindo cada vez mais a pobreza, más infelizmente não é isso que acontece!

09/10/2007 - Luciene

18
  Bom
Denunciar
O filme retrata a realidade atual tristemente comparada a época da escravidão quando a injustiça e a miséria prevaleciam. O filme mostra que somente o cenário mudou sendo o racismo e o preconceito contra pobres e negros o seu ponto principal.

11/10/2007 - Rafael Lemos

19
  Ótimo
Denunciar
O título correto é: "Cronicamente inviável parte 2", e com orgulho. Se o filme de 1999 armou o jogo para escancarar a pobreza e a ironia de nosso país, "Quanto vale..." deu o xeque-mate. Filme muito bom!

13/10/2007 - Carlos Eduardo Regis

20
  Ótimo
Denunciar
O filme retrata a realidade de duas épocas distintas, escravidão e do dias atuais, mostrando que nada mudou simplesmente o cenário, uma dura realidade.

19/10/2007 - Lourdes Milliatti

21
  Ótimo
Denunciar
Um filme corajoso, pois retrata o nosso país em sua realidade nua e crua, corajoso pelo fato de existir pessoas no poder e que fazem parte demais essa corrupção nos dias de hoje. Me causa sofrimento saber que por mais que lutemos não conseguiremos deter tamanha barbárie. O que mais me chamou a atenção no filme foi a idosa que trabalhava na empresa, sagaz em seu objetivo de seqüestro, esses velhinhos estão demais né...não podemos acreditar e nem ter dó demais ninguém nesse país. Aonde vamos parar... Parabéns ao diretor, atores e todo elenco.

19/10/2007 - Carolina

22
  Regular
Denunciar
O filme é maravilhoso, assisti ano passado na escola que eu dava aula com o professor de filosofia e achei que seria ótimo passa esse filme adiante uso ele nas aulas de filosofia, mas o interessante seria que os alunos tivessem um olhar mais critico sobre a sociedade atual.

20/10/2007 - Valquíria

23
  Ótimo
Denunciar
Adorei o filme, fala justamente do que estamos passando. Melhor seria se houvesse maior divulgação do mesmo. Assisti na Faculdade e adorei. Acredito que a sociedade precisa de um alerta e, é através da mídia que isso pode acontecer. Parabéns pela grande produção!

22/10/2007 - Junior

24
  Bom
Denunciar
Legal, e bonito.

23/10/2007 - Arithan

25
  Ótimo
Denunciar
Assisti a poucos dias na faculdade e o filme retrata a realidade brasileira, fazendo um paralelo entre a sociedade atual e a sociedade antiga.

06/11/2007 - Franciellen Dias

26
  Ótimo
Denunciar
Eu assisti ao filme na escola, com meu professor de sociologia e gostei muito, fiz um relatório sobre o filme e tirei a maior nota. Parabéns ao diretor Sérgio Bianchi e todo seu elenco!

16/11/2007 - The Game

27
  Péssimo
Denunciar
É uma porcaria e o diretor não conseguiu mudar nada na sociedade brasileira com este filme.

20/11/2007 - Amanda

28
  Ótimo
Denunciar
Assistir o filme na facu, na aula de antropologia e gostei muito, porém o filme nos mostrar a realidade nos dia de hoje, ou seja, nada mudou desde 1888, apenas se modernizou com o crescimento tecnológico, mas a exploração da sociedade menos favorecida continua a mesma. Através desse filme devemos refletir sobre a sociedade que temos e a sociedades que queremos?

22/11/2007 - Hediene

29
  Bom
Denunciar
A professora passou este filme na sala de aula, como trabalho de observação. Ele e muito bom retrata muito bem a realidade em que vivemos, sem falar no paralelo que se faz com a época da escravidão. Esse filme serve para que a sociedade reflita melhor sobre seus atos. A produção e os atores estão de parabéns.

23/11/2007 - Roberto - Rccs

30
  Ótimo
Denunciar
Como a maioria, assisti ao filme na facu, na aula de antropologia, para podermos identificar e relatar conceitos antropológicos, mas o resultado foi mais do que identificar os conceitos foi principalmente verificar através de um filme EXCELENTE, que os métodos utilizados pelas classes dominantes do período colonial até os atuais são os mesmos, salvo a forma e técnica aperfeiçoadas do nosso EVOLUIDO SÉCULO XXI. Temos que refletir e rever nossos conceitos. Todos participaram deste trabalho estão de parabéns.

25/11/2007 - Raquel

31
  Ótimo
Denunciar
Assisti na faculdade, e achei um excelente filme onde toda a sociedade deveria assisti-lo. Ele retrata a cruel realidade da nossa sociedade, sendo que os negros continuam sendo explorados e discriminados, ou seja, apenas mudou-se de cenário, mas a discriminação continua a mesma. Este filme é ótimo para se fazer uma reflexão e perceber que o assistencialismo continua presente, sendo que as pessoas se fazem de "caridosas e boazinhas" para seus interesses e não para que o povo consiga melhorar de vida, por isso políticas publicas de qualidade são essenciais.

25/11/2007 - Elaine Gonçalves

32
  Ótimo
Denunciar
Adorei esse filme assistido numa aula de sociologia. Mas infelizmente alguns traços do filme é a nossa realidade de hoje será que um dia a desigualdade social irá desaparecer? Sei que essa pergunta vão rolar aos longos de muitos anos.

30/11/2007 - Magali Caldas

33
  Ótimo
Denunciar
Assistir o filme na faculdade para a matéria de política social do curso de Serviço Social tenho certeza que este filme é perfeito para termos noções sobre a falsa assistência social que predomina nessa sociedade extremamente capitalista e nos mostrou que as mudanças de um século para outro só foram camuflada de acordo com a atualidade, mas a precariedade é a mesma.

02/12/2007 - Hilton

34
  Ótimo
Denunciar
Vi este filme na aula de ética na faculdade e pude ver porque este país precisa ser passado a limpo. Mas como o nosso povo se deixa levar por bobagens ilusórias, que entorpecem o entendimento como é o caso do futebol e do carnaval. Tem clube que dá almoço pros meninos, tem escola de samba que dá subemprego o ano todo. A favela, a fábrica são a "nova senzala". Os planos de carreira, as metas de produção são os novos feitores. O empréstimo consignado em folha para os aposentados parece aquela parte da compra da alforria no filme. São vários e sutis os meios de aprisionamento nesta sociedade que se diz democrática onde a democracia vale quanto você tem para barganhar. O funcionário só tem a força de trabalho e assim por diante... A solidariedade virou um produto, algo que dá retorno, a tal e bem falada responsabilidade social das empresas. Senhores marqueteiros hipócritas que por ventura venham a ler este comentário usem o seguinte slogam na próxima campanha publicitária: "esta empresa não é boasinha, mas queremos ficar bem na foto fazendo de conta que o nosso produto é responsável, que não usa mão de obra semi escrava, que suas matérias primas não agridem o meio ambiente e a saúde dos que a manipulam".

05/02/2008 - João Santos

35
  Regular
Denunciar
Assisti ao filme agora indicado na disciplina de seminário de sociologia em administração. Achei o filme um pouco tendencioso em satanizar as ONG'S do pais. Parece até que o autor tem um objetivo de acabar com essas ONG'S, é bom lembrar-mos que essas entidades com todas essas canalhices que há no meio delas, fazem um trabalho que muita das vezes o estado não faz, vamos lembrar todo esse periodo em que os governos ditos democrático se omitiram da causa social, e essas ONG'S são quem fazem o papel do estado. É muito bom termos prudência, pois nem tudo é podre no meio dessas ONG'S e infelizmente não foi a mensagem que o autor passou!

12/03/2008 - Ana Caroline

36
  Bom
Denunciar
O filme mostra uma solidariedade de fachada que muita coisa não mudou... Que pessoas honestas no desespero tornam pessoas ruins!

13/03/2008 - Itana Amâncio

37
  Ótimo
Denunciar
Brilhante analogia... Entre épocas tão distintas... Onde mostra perfeitamente a situação do nosso país!

16/03/2008 - Claudiana Santos Vicente

38
  Ótimo
Denunciar
Assisti ao filme na faculdade na aula de ética e gostei muito, pois pude perceber a grande miséria que muitas pessoas passam por serem escravizadas os políticos tem uma grande parcela de culpa nisso será que toda essa situação não poderia ser diferente vamos a luta por um país melhor. 16/03/2008.

16/03/2008 - Vanderleia

39
  Ótimo
Denunciar
Assisti ao filme na FCJ, disciplina de Direitos Humanos, e, melhor não poderia ser, para nos alertar sobre a massacrante realidade deste país, que deixa ao relento a classe marginal da sociedade, e ainda usam da miséria dessas pessoas para alcançar seus intentos. Muito triste, mas real, pois, a sociedade hodierna não aboliu a escravidão, o preconceito, enfim, não há efetividade dos direitos humanos assim como do ideal teórico do Estado Democrático de Direito. Vale ressaltar, noutro norte, que existem ações solidárias que merecem respeito. Ótimo o filme!

17/03/2008 - Lucia

40
  Ótimo
Denunciar
Se você assistiu e não abriu seu olho para tudo que está ao seu redor...

18/03/2008 - Mariana Caldas Pereira

41
  Ótimo
Denunciar
Gostei muito de ver este filme, pois, relata uma sociedade suja e cruel. Além de fazer com que vejamos como eram tratados os escravos e as pessoas de classe baixa. Fiquei chocada com as senas mostradas, mas foi isso que deu o choque no publico. Estou fazendo pedagogia, e esse filme foi passado por uma professora, e agora ela pede que façamos um resumo de 2 paginas sobre os problemas encontrados no filme. Só que são tantos que não sei por onde começar.

04/04/2008 - Vilma

42
  Ótimo
Denunciar
É impressionante que o tempo passa e a história se repete. Parabéns aos idealizadores desse documentário.

07/04/2008 - Geraldo Castro

43
  Ótimo
Denunciar
Assisti ao filme e gostei da maneira como foi elaborado, a forma que as pessoas (burguesia) encaram os pobres deste Estado, infelizmente uma massa de manobra. Tudo que se refere a educação esta sendo manipulado isto vem de longos anos. E sem educação para o povo é nisso que se transforma um País.

08/04/2008 - Jhonatan

44
  Péssimo
Denunciar
Não gostei esse filme é um lixo!

26/04/2008 - José Marcondes

45
  Ótimo
Denunciar
Assisti e gostei. É um ótimo filme para promover discussões sobre o comércio da "solidariedade", o coisificação das pessoas, a violência na construção da história de formação do Brasil, a corrupção, etc. Que assistir o filme sentirá vergonha por Tropa de Elite ser tão comentado na grande mídia e de o mesmo ter recibo prêmio em Berlim.

29/04/2008 - Edilaine E Jessyka

46
  Ótimo
Denunciar
O filme é muito bom... Mas é muito VIOLENTO... É a realidade né... Dos dias de hoje...

01/05/2008 - Edmara N. Nascimento

47
  Ótimo
Denunciar
Assisti ao filme na aula de sociologia e gostei muito. Ele relata sobre o que ainda acontece até hoje e a sociedade finge não notar.

06/05/2008 - Rafaela Maysa Rodrigeus

48
  Ótimo
Denunciar
O filme é ótimo mostra a realidades dos tempos de antigamente e atuais, assisti na faculdade na aula de sociedade o debate foi bom mostra ambas épocas lutando pelos direito democráticos e preconceito entre o negro e pobre que é unas dos pontos principal para a divulgação para comover o telespectador.

07/05/2008 - Miro

49
  Ótimo
Denunciar
O filme mostra tudo o que apareceu no filme.

09/05/2008 - Maira

50
  Ótimo
Denunciar
Assisti ao filme na aula de antropologia e adorei, é muito bom saber mais da nossa história para valorizar o ser humano.

15/05/2008 - Thiago-unisuam-vp

51
  Bom
Denunciar
Acabei de ver esse filme na faculdade, esse filme relata muito bem os dias de hoje.

19/05/2008 - Claudia

52
  Ótimo
Denunciar
Adorei o filme.

27/05/2008 - Handersonb Lopes

53
  Ótimo
Denunciar
Um ótimo filme, vale a pena assistir, quem sabe você quebre o conceito de que filme brasileiros são ruins, afinal este filme mostra quanto o cinema nacional se desenvolveu.

28/05/2008 - Elis Souza

54
  Ótimo
Denunciar
Assisti ao filme na faculdade, na aula de educação e sociedade. O filme retrata sim a realidade brasileira nos alertando para questões que parecem não mais existir como a escravidão, a dominação a dignidade humana barganhada e a situação de parasitismo em que se encontram as pessoas das classes menos favorecidas. Retrata situações que embora não sejam novas, vêm com nova roupagem, porém com o mesmo caráter opressor.

08/06/2008 - Rafael Gonzaga

55
  Ótimo
Denunciar
O filme é bom para as pessoas que estão precisando ver a realidade do mundo que nada vem de grátis.

09/06/2008 - Renan

56
  Bom
Denunciar
Meu nome é renana adorei o filme muito legal assistam rapaziada.

11/06/2008 - Anaclecia

57
  Ótimo
Denunciar
Adorei o filme produções com estas, da nossa realidade, deveriam ser bem mais divulgadas para mostrar a sociedade que a vida de muitos brasileiro não é uma festa e uma ressaca em seguida.

16/06/2008 - Fati/ Italo

58
  Bom
Denunciar
Sim assisti ao filme... Acho uma hipocrisia... Vai ser sempre assim... Tudo muda menos essa sociedade hipócrita, em que vivemos... Enquanto continuarmos sendo sujeito... Não agentes vai ser assim... Por isso temos que lutar contra isso... Essa sociedade.

26/06/2008 - Marcos

59
  Ótimo
Denunciar
Muito bom o filme. Como negro e pessoa de baixa renda eu posso dizer que muitos pontos neste filme são verdadeiros.

03/07/2008 - Flavio E Fabiano

60
  Ótimo
Denunciar
Assistimos o filme no canal Brasil e o consideramos um retrato fiel da atual condição social, econômica e política do Brasil, onde o preconceito racial e a discriminação social só poderá ser combatida através da conscientização dos cidadãos quanto a estas realidades nacionais!

05/07/2008 - Bruna Alessandra

61
  Ótimo
Denunciar
Assisti ao filme em um curso de extensão na faculdade, achei chocante, mas muito real. Serve de forma muito eficiente para abrir os nossos olhos, que muitas vezes estão fechados por nos preocuparmos apenas com nosso bem estar. Muito inteligente o modo de fazer o paralelo com o passado, assim podemos notar que muitas coisas nunca mudam.

10/07/2008 - César Ferreira

62
  Ótimo
Denunciar
Assisti ao filme no estágio (aula de História) e o mesmo retrata a hipocrisia da elite brasileira que finge o tempo todo, e teima em não reconhecer que é a grande culpada pela situação de miséria de algumas pessoas. Esse filme deixa tudo bem claro.

17/07/2008 - Maria José

63
  Ótimo
Denunciar
Assisti este filme durante o curso de extensão sobre a influencia afro dentro da cultura brasileira. Confesso que fiquei chocada com as duas realidades que continuam predominantes no Brasil, é incrível como depois de tantos anos o desrespeito e a hipocrisia continuam presentes e o povo continua sofrendo. Nada mudou com o tempo o Brasil continua o mesmo.

18/07/2008 - Renata

64
  Ruim
Denunciar
Assisti este filme durando um curso sobre planejamento de projetos em comunidades. Mostra uma relação legal entre a escravidão e a atualidade, porém discordo da imagem ruim sobre as ONG's, isso não ocorre em todas. E quase vomitei com a cena nojenta de vômitos... sem necessidade aquilo... Muito mal gosto.

21/07/2008 - Jose Lopes Lisboa

65
  Bom
Denunciar
Historicamente retrata a opreção e os maus tratos, que eram perceguidos os escravos fugodos, e como eram manipulados por pessoas que se pasavavam por boazinha, iludindo os escravos com promesas de ajudar na ouforria. Senpre tinha quem levava vantagem. Muitas vezes o propio negro era cpitão do mato, cassador de escravos. Hogê não foge a regra, os propios companheiros dalatão entre-si levando muitas vezes a morte aos seus cemelhantes. Mudarão os anos, mas á atitude do ser humano não mudou. Pena.

23/07/2008 - Tayná Teodoro da Silva

66
  Bom
Denunciar
Assisti a esse filme na aula de geografia... Gostei muito dele, apesar de retratar a violência, o que é infelizmente a realidade, tanto hoje quanto antigamente! Acho que esse filme quer mostrar o quanto nosso mundo continua com os mesmos preconceitos... Só não gostei muito porque sabe como é filme brasileiro xinga muito... É tudo muito aberto!

18/08/2008 - Eunice

67
  Ótimo
Denunciar
Assisti, gostei e recomendo. Seria interessante que aquele que é "ASSISTIDO" por determinadas ONGS tivessem a oportunidade de ver o filme e comentar a respeito, quem sabe se houvesse mais conscientização quanto aos direitos humanos a coisa mudaria.

21/08/2008 - Jamile Carneiro

68
  Bom
Denunciar
O filme é muito inteligente, pois faz um paralelo entre o passado e o presente, apontando as similaridades. De fato o tempo passou, mas o ser humano continua reduzido a "mercadoria".

26/08/2008 - Chueco

69
  Regular
Denunciar
Em momentos parece documentário, em outros comédia. Aquela sátira a grupos religiosos xamanicos foi muito idiota e exagerada. Mas o filme tem aspectos louváveis, principalmente quando trata de questões como ongs que se revestem de responsabilidade social para lavar $ e desviar verbas.

31/08/2008 - Ivone Ribeiro Corrêa

70
  Bom
Denunciar
Sou acadêmica de Serviço Social 3º ano, Cesumar - Maringá. O filme Quanto vale ou é por kilo é chocante, deprimimente, mostra a realidade do Brasil infelizmente. Exploração, injustiças, e corrupção. O Poder como sempre só visando lucro. Ongs implantando projetos para beneficio próprio que nojo!

31/08/2008 - Sandra Reis

71
  Ótimo
Denunciar
Nota dez para o filme, esta obra é muito rica e inteligente, pois nos mostra situações vergonhosas da antiguidade, que se repete na contemporaneidade e que nos sirva de alerta para lutar por um mundo melhor. Há e nota zero para aqueles que assistiram ao filme e não gostaram.

11/09/2008 - Jairo

72
  Ótimo
Denunciar
Nota 1 milhão para esse filme só não entendo porque ainda este filme não foi tão divulgado até pra tentar o Oscar.

11/09/2008 - Maria José M. Sampaio

73
  Ótimo
Denunciar
O filme retrata que a história é a mesma, mudam apenas os personagens e os cenários. Nossas injustiças são gritantes, gasta-se mais em propaganda e medidas paliativas do que para resolver realmente os problemas, pois para os políticos é melhor assim, pois são os desinformados que mais vendem ou trocam seus votos.

15/09/2008 - Josy

74
  Ótimo
Denunciar
Nota 1000! O filme é verdadeiro em tudo que ele nos mostra! Fantástico e impactante!

26/09/2008 - Aline Dias

75
  Ótimo
Denunciar
Já assisti, e não concordo com uma coisa:
o filme cita apenas a ong que se aproveita da situação de miséria de uma comunidade. Se esquecendo que existe organizações sérias
que realmente tem interesse em ajudar pessoas carentes. Porque não mostra-las e expor seu trabalho? Mas o filme é ótimo! Real, verdadeiro, não omite fatos que marcam nosso país!

30/09/2008 - Lucas

76
  Ótimo
Denunciar
O filme retrata de uma forma clara que ainda vivemos em uma época de escravidão, onde a elite brasileira tira lucro as custas dos mais pobres, e se alguém descobre toda a trama que eles fazem tem de ser eliminado para a elite não correr risco. Nem sempre as ONGs são como a do filme, mas o exemplo serviu para mostrar que o que parece bom nem sempre é e há pessoas "roubando" o dinheiro que iria ser usado para ajudar pessoas carentes/necessitadas.

04/10/2008 - Elaine

77
  Ótimo
Denunciar
Sim, eu assisti ao filme na faculdade com o objetivo de realizar um trabalho, achei ótimo terem produtores corajosos em mostrar a realidade do nosso país, enfim que mostrem como funciona o sistema político que enfeitam a exploração social, infelizmente hoje no século XXI, temos estampadas várias formas de escravidão.

07/10/2008 - Ozana

78
  Ótimo
Denunciar
Sim, assistir o filme na faculdade para fazer um trabalho sobre responsabilidade social e exploração social. Essa e a imagem difundida que está implícita ou explicita basta ter um olhar critico da realidade.

20/10/2008 - Alba

79
  Ótimo
Denunciar
Vi na faculdade é um filme crudelíssimo, mas verdadeiro relata o que ocorria na escravidão e compara com o que ocorre nos dias de hoje. Muito bom o ensejo do filme. Assistam certamente alguma coisa fará você repensar sobre sua vida e a sociedade.

27/10/2008 - Tammy

80
  Regular
Denunciar
Não entendi!

29/10/2008 - Anderson

81
  Regular
Denunciar
Vi na faculdade e não entendi nada.

30/10/2008 - Elder

82
  Bom
Denunciar
Bom o filme retrata a realidade de hoje em dia a discriminação a falta de consideração pelas pessoas. A comparação de antigamente com os dia de hoje que não esta tão diferente. A desiguadade social influencia muito nesse aspecto de casses sociais.

05/11/2008 - Bianca

83
  Não vi
Denunciar
Não assisti ainda.

06/11/2008 - Willianne

84
  Ótimo
Denunciar
Bom o filme retrata a dura realidade, de que apesar do tempo ter passado, quase nada mudou, as pessoas continuam sendo escravas de pessoas hipócritas que querem se passar de bonzinho só para tirar vantagem daqueles que ainda se deixa enganar. Na minha opinião eu acho que as deveriam ficar de olhos mais abertos não se deixar enganar por uma bondade falsa em pleno século 21. E o que o filme retrata muito é essa boa posição das OGNs, querendo sempre ajudar ao próximo, tendo sempre uma boa imagem e os "tolos "por sua vez caem, achando que estão sendo ajudados e que o pessoal dessas ONGs são os salvadores da PÁTRIA. Pô, cai na real essas pessoas só querem enganar, e nós que somos jovens temos que acabar com essa farsa, é tempo de mudar, então vamos á luta.

08/11/2008 - Rosângela Simões

85
  Ótimo
Denunciar
Esse filme não é bom... Ele é maravilhoso! Levá-nos a pensar, refletir acerca do que somos e do que fazemos, essa prática deveria acontecer mais vezes.

10/11/2008 - Alexandre

86
  Ótimo
Denunciar
Continua mesma coisa.

10/11/2008 - Zé Victor

87
  Ótimo
Denunciar
Solidariedade de fachada vamos abolir essa idéia... Quando a esmola é grande demais o santo desconfia...

13/11/2008 - Sofia Afonso

88
  Bom
Denunciar
Virou moda fazer assistencialismo. Não se trata de afirmar que não seja necessário, mas de atentar para que se saiba a verdadeira função desse ato e dar conta de que, na real, o 'caridoso' não o faz pelo outro, mas por si mesmo. Afinal, todo o altruísmo é egoísmo. Quem viu o filme, lembra das dondocas dizendo que cuidar dos desfavorecidos faz bem ao espírito? Elas não o fazem pelo outro, mas para sentir um alívio na culpa de nada fazer!

14/11/2008 - Jane Célia

89
  Ótimo
Denunciar
Foi ótimo, pois deu para ver muitas coisas importantes, vi que nos tempos antigos e os dias de hoje não mudou quase nada.

14/11/2008 - Nãoteinterresa

90
  Péssimo
Denunciar
Nem entendi aquele filme é muito chato.

19/11/2008 - Maíra

91
  Ótimo
Denunciar
Excelente! Deveria ser assistido todos os dias, pela maioria das pessoas que agem dessa forma e ainda acreditam que estão sendo boazinhas.

20/11/2008 - Eliana

92
  Péssimo
Denunciar
Achei horrível; não tem noção o filme... Não gostei. Não entendi muito... A idéia foi boa, mas o filme não ficou legal, faltou alguma coisa.

20/11/2008 - Fabrícia

93
  Bom
Denunciar
O filme é interessante, mas quando eu o vi achei meio sem sentido. Só depois que eu li o resumo do filme que eu entendi e achei muito real, mas só que as senas do filme deveria serem mais claras.

21/11/2008 - Lucas...

94
  Ótimo
Denunciar
É um filme que retrata nosso passado e nosso dia-a-dia. No passado, os negros eram perseguidos pelos capitães do mato, como fontes de lucro. Em nosso presente, uma empresa explorando dos pobres, substituindo a ausência do Estado, como fontes de lucro para eles. Conclusão: o filme mostra nosso passado e o nosso dia-a-dia, com o objetivo de retratar a corrupção, violência e a discriminação (social e racial). Com o critério de realidade e o desgosto (feito para não gostarmos, porém, para chamar atenção da sociedade mostrando o nível de corrupção em nosso dia-a-dia);o tempo passando e nada mudando, o Governo gastando mais com os presidiários em vez de investir na educação brasileira.

28/11/2008 - Djeniffer Lopes

95
  Ótimo
Denunciar
O filme é muito mara! Este filme deveria ser divulgado, pois irá desperta na sociedade a curiosidade de saber como funciona as ongs e consequentemente poderia até haver uma cpi das ongs.

30/11/2008 - Cida

96
  Ótimo
Denunciar
Assisti, o filme para a faculdade para fazer trabalho, adorei simplesmente maravilhoso, mostra como era no princípio da formação do Brasil e que infelizmente ainda continua, só não percebe quem tem uma boa vida e não depara com os absurdos que temos que encarar no nosso dia a dia eu acho que o filme deveria ser inserido nas escolas primárias pára que as crianças temnham uma visão de acordo com a realidade, não as mentiras que nos são ensinadas para assim podermos levantar e fazermos um futuro melhor!

02/12/2008 - Renata

97
  Ótimo
Denunciar
Assisti ao filme para a faculdade e achei muito bom. Uma sugestão aos que não gostaram, procurem se informar sobre o que é o filme. Muitos sites não informam que ele é baseado no conto "Pai contra mãe" de Machado de Assis e em crônicas de Nireu Cavalcante. Além de ter trechos de documentários e pequenos contos de dos autos do Arquivo Nacional do Rio de Janeiro.

03/12/2008 - Cristiano Melo

98
  Ótimo
Denunciar
Em pleno século XXI as pessoas ainda são tratadas como se estivessemos no período da escravidão, e isso é inaceitável. Parabéns pelo filme.

06/12/2008 - Vanusa

99
  Ótimo
Denunciar
Adorei o filme retrata sobre o passado na época escrava e mostrado na forma do século 21 onde os miseráveis ainda são escravizados não deixe de assistir vale a pena.

17/12/2008 - Márcio Alexandre da Silva

100
  Ótimo
Denunciar
Simplesmente o melhor filme que retrata a realidade de exploração sofrida pelos afro-descendentes. A cinematografia no lembra que temos uma divida histórica grande com essas pessoas, excluída da sociedade.

04/02/2009 - Marcia

101
  Regular
Denunciar
Não gostei do filme. A sequência das imagens e dos fatos são confusas.

05/02/2009 - Fgcsdhfsd

102
  Péssimo
Denunciar
Não entendi nada.

26/02/2009 - Samira

103
  Ótimo
Denunciar
Esse filme é na minha visão super realista e mostra que apesar do fim da escravidão de certa forma ainda somos escravos ou temos que nos submeter a essa sociedade que continua com a mente no passado e pior os seus atos são retroativos demais o filme é ótimo nessa questão.

06/03/2009 - Carla Vicente

104
  Ótimo
Denunciar
Esse filme mostra infelizmente a realidade do nosso país. Muito interessante quando aborda a exploração da miséria que forma uma solidariedade. O contexto a analise crítica foi muito bem explorada nesse filme.

15/03/2009 - Vanderley

105
  Regular
Denunciar
Assisti esse filme no Colégio e achei-o meio confuso e contraditório, mas o que o filme na verdade quer passar é relativamente muito bom e mostra a realidade natã!

19/03/2009 - Alyne

106
  Ótimo
Denunciar
A filme mostra de forma bem objetiva, fatos do nosso passado que continuam presentes na nossa realidade. Acho que o auto foi muito feliz na forma como retratou os problemas sociais do Brasil, despertando assim um senso crítico nas pessoas.

20/03/2009 - Wellerson

107
  Ótimo
Denunciar
Com certeza, o filme é excelente. Mostra a realidade como ela se apresenta. Sem rodeios. Muitas empresas atuam nas obras assistenciais somente para permanecerem na mídia como instituições que ajudam os necessitados. Estas não têm compromisso com as obras sociais.

23/03/2009 - Watylinimg

108
  Péssimo
Denunciar
Este filme é muito ruim.

23/03/2009 - Gleisiane

109
  Bom
Denunciar
Assisti esse filme no colégio eu o achei meio confuso, pois aborda dois tempos em um filme só mais achei legal.

23/03/2009 - Gleisiane

110
  Ótimo
Denunciar
Esse filme é maneiro meu que coisa decente, eu namorei este filme.

24/03/2009 - Melissa

111
  Ótimo
Denunciar
O filme é muito bom, realmente vale a pena!

25/03/2009 - Greissy

112
  Bom
Denunciar
O filme é bom, deu pra entender algumas partes, mais é meio confuso.

05/04/2009 - Michelle

113
  Ótimo
Denunciar
O filme retrata simplesmente a escravidão dos tempos modernos muda o contesto as circunstâncias, porém a escravidão prevalece.

07/04/2009 - Ma.

114
  Péssimo
Denunciar
Abordaram a violência com extremo exagero.

20/04/2009 - Larissa

115
  Ótimo
Denunciar
Gente... Amei o filme... Mais me deu muito trabalho para achar ele..

30/04/2009 - Sandra (26 anos)

116
  Ótimo
Denunciar
Um filme realmente excelente estou fazendo um trabalho interdisciplina que abordados este olhar crítico com teorias tradicionais, críticas, e pós-criticas.

30/04/2009 - Daiane (17 anos)

117
  Ótimo
Denunciar
O filme é interessante porque eu vi com um olhar critico, amei inclusive estou fazendo pesquisas e trabalhos sobre ele.

01/05/2009 - Ana Beatriz G Franco (20 anos)

118
  Ótimo
Denunciar
Bom eu achei o filme maravilhoso. O filme mostra a verdadeira realidade do mundo.

07/05/2009 - Lucinara Beleza (23 anos)

119
  Ótimo
Denunciar
É um filme muito interessante, pois mostra a real face de desigualdade desde a escravidão até nossos dias...

10/05/2009 - Jeane Marques (38 anos)

120
  Ótimo
Denunciar
Vi o filme na faculdade é acho que retrata a realidade de nossa sociedade, onde existe uma hipocrisia com os pobres e os negros, sendo estes usados como fonte de mercadoria para os empresários fingirem que estão fazendo a sua parte na sociedade.

13/05/2009 - Cidapy (37 anos)

121
  Bom
Denunciar
Dou nota 8 por ser um filme confuso.

14/05/2009 - Mendigod (55 anos)

122
  Ótimo
Denunciar
Uma porcaria a única parte que eu gostei foi o mendigo vomitando e tomando o suquinho de novo. Aquilo foi bom.

20/05/2009 - Valdecila (36 anos)

123
  Ótimo
Denunciar
Ótimo, se todo mundo tivesse consciência
do valor de nossas vidas viveríamos, melhores de vida social...

27/05/2009 - Afonso (22 anos)

124
  Ótimo
Denunciar
O filme é muito bom e expressa a dura e verdadeira realidade, tanto no século 18 como no século 20.

28/05/2009 - Mara Rubia (29 anos)

125
  Ótimo
Denunciar
O filme mostra a verdadeira realidade, séculos se passaram, mas a humanidade continua a mesma, só mudou a roupagem, sempre em busca de lucros, não dando a mínima para o próximo e seus valores, isso leva a sociedade para o colapso. Dinheiro mal distribuído levando a grande desigualdade social. O filme deveria passar em horário nobre para que todos possam ter oportunidade de refletir sobre o assunto.

03/06/2009 - Thiago (20 anos)

126
  Ótimo
Denunciar
No Filme de Sergio Biachi “ Quanto vale ou é por quilo?”. O motivo da variação de pontos de vista é contextualizado historicamente sendo apresentados casos do período escravocrata retirados do Arquivo Nacional (RJ). A intenção com atores que também representam as situações do mundo atual faz com que a comparação e a sensação de “nada muda no Brasil” sejam inevitáveis. A noção de que pessoas podiam ser propriedade de outras, ou a lógica do lucro do sistema de escravidão no Brasil. Exemplos como do capitão-do-mato que hoje estaria representado pelo matador de aluguel, Já outras parecem mais atuais, como no caso da indústria carcerária que teria se tornado cabide de empregos na construção civil nas políticas do governo e para sua propulsão a polícia intensificaria as prisões, aumentando a população carcerária e necessitando, portanto, de novas construções para acomodar toda essa gente. O filme Quanto vale ou é por quilo? Mostra como a sociedade brasileira, caracterizada pela transferência de responsabilidade do interesse público para o privado, torna-se mercadoria aquele que ajuda. A postura positiva para a obtenção de retorno. A batalha entre minorias e maioria, sendo que os primeiros são domesticados por aqueles que são “bons. ” Marketing social, apoio do cliente-cidadão que, sem questionar, confia nos projetos sociais promovidos pelas empresas e uma possível teia de corrupção, são as respostas lucrativas que uma empresa do Terceiro Setor pode receber, o mesmo aparece no filme como uma empresa. A Responsabilidade Social ou solidariedade são como uma nova indústria que gerencia a miséria e os miseráveis. Trazendo em conta a idéia liberalista privatiza os lucros e sociabiliza as pernas, no caso de passando esse lucro as ONGs. Tratar dessa maneira do mercado da solidariedade, do assistencialismo e voluntarismo, da disputa competitiva pela pobreza, da idéia de inclusão digital que superfatura na compra de computadores de terceira linha e ainda se utiliza de funcionários pobres para abrir contas paralelas, “laranjas”, da corrupção generalizada no assalto ao dinheiro público. A frase mais marcante do filme “O que vale é ter liberdade para consumir, essa é a verdadeira funcionalidade da democracia". Sem dúvidas poem em pauta a idéia de liberdade de mercado, onde quem não tem como consumir é tido como inválido para sociedade. O atual jogo democrático e de participação da sociedade civil em prol de demandas não atendidas pelo Estado, as ONGs, ou o terceiro setor, como se convencionou chamar - aparecem no filme funcionando como empresa, incorporando seu discurso típico e objetivando o lucro. A idéia de dois finais dá a entender que mesmo que não sejam apenas aquelas as opções como a idéia de lucro, mas também a de que somos nós que daremos novos desfechos para a História.

04/06/2009 - Douglas Julio (31 anos)

127
  Ótimo
Denunciar
Me ajudou bastante no meu resumo para o trabalho da faculdade.

09/06/2009 - Alessandro-BH/MG (38 anos)

128
  Regular
Denunciar
Houve uma dificuldade muito grande em achar o filme. Ao assistir parei por duas vezes em dias alternados para tentar entender o que estava ocorrendo visto que eu teria que concluir uma resenha para a faculdade. O filme é muito complicado de se entender o que esta passando, principalmente porque as cenas não são continuas, elas saem de um período colonial e vão para o contemporâneo em um piscar de olhos. Se não ficar atento e entender o que o diretor e escritor quis passar de mensagem você se perde totalmente. E sua resenha que era para ser algo produtiva, coesa e com sentido. Passa a ficar totalmente desconfigurada. Portanto ALERTA se não entender recomece é o melhor meio para se entender o que esta ocorrendo. Abraço.

12/06/2009 - Sta. Fernanda (22 anos)

129
  Bom
Denunciar
Um filme muito forte mais que mostra a realidade do Pais!

29/06/2009 - Eu (19 anos)

130
  Ótimo
Denunciar
Filme muito bom, mas difícil de comentar fala mais sobre a mercantilização da mercadoria.

18/07/2009 - Joel Antonio da Silva (32 anos)

131
  Ótimo
Denunciar
O filme retrate algo que se tornou costumeiro na sociedade da mercadoria, o fetiche da mercadoria na forma caricaturesca dos projetos sociais. Excelente produção...

13/08/2009 - Rodrigo Cimas (26 anos)

132
  Ótimo
Denunciar
No Filme de Sergio Biachi “ Quanto vale ou é por quilo?”. O motivo da variação de pontos de vista é contextualizado historicamente sendo apresentados casos do período escravocrata retirados do Arquivo Nacional (RJ). A intenção com atores que também representam as situações do mundo atual faz com que a comparação e a sensação de “nada muda no Brasil” sejam inevitáveis. A noção de que pessoas podiam ser propriedade de outras, ou a lógica do lucro do sistema de escravidão no Brasil. Exemplos como do capitão-do-mato que hoje estaria representado pelo matador de aluguel, Já outras parecem mais atuais, como no caso da indústria carcerária que teria se tornado cabide de empregos na construção civil nas políticas do governo e para sua propulsão a polícia intensificaria as prisões, aumentando a população carcerária e necessitando, portanto, de novas construções para acomodar toda essa gente. O filme Quanto vale ou é por quilo? Mostra como a sociedade brasileira, caracterizada pela transferência de responsabilidade do interesse público para o privado, torna-se mercadoria aquele que ajuda. A postura positiva para a obtenção de retorno. A batalha entre minorias e maioria, sendo que os primeiros são domesticados por aqueles que são “bons. ” Marketing social, apoio do cliente-cidadão que, sem questionar, confia nos projetos sociais promovidos pelas empresas e uma possível teia de corrupção, são as respostas lucrativas que uma empresa do Terceiro Setor pode receber, o mesmo aparece no filme como uma empresa. A Responsabilidade Social ou solidariedade são como uma nova indústria que gerencia a miséria e os miseráveis. Trazendo em conta a idéia liberalista privatiza os lucros e sociabiliza as pernas, no caso de passando esse lucro as ONGs. Tratar dessa maneira do mercado da solidariedade, do assistencialismo e voluntarismo, da disputa competitiva pela pobreza, da idéia de inclusão digital que superfatura na compra de computadores de terceira linha e ainda se utiliza de funcionários pobres para abrir contas paralelas, “laranjas”, da corrupção generalizada no assalto ao dinheiro público. A frase mais marcante do filme “O que vale é ter liberdade para consumir, essa é a verdadeira funcionalidade da democracia". Sem dúvidas põem em pauta a idéia de liberdade de mercado, onde quem não tem como consumir é tido como inválido para sociedade. O atual jogo democrático e de participação da sociedade civil em prol de demandas não atendidas pelo Estado, as ONGs, ou o terceiro setor, como se convencionou chamar - aparecem no filme funcionando como empresa, incorporando seu discurso típico e objetivando o lucro. A idéia de dois finais dá a entender que mesmo que não sejam apenas aquelas as opções como a idéia de lucro, mas também a de que somos nós que daremos novos desfechos para a História.

15/08/2009 - Adriana Azzi (32 anos)

133
  Ótimo
Denunciar
Excelente filme, demonstra que a realidade brasileira de desafeto e de descaso com os excluídos tem papel histórico. Vale a pena assistir!

25/08/2009 - Camila Micaela (21 anos)

134
  Ótimo
Denunciar
Tive a oportunidade de ver o filme na faculdade e achei MA-RA-VI-LHO-SO! Retrata fielmente a realidade e a história brasileira, proporcionando a nós estudantes e cidadãos uma formação crítica ainda mais complexa e de reflexos relevantes para nosso posicionamento político e ético, no exercício social.

26/08/2009 - Fernanda (21 anos)

135
  Ótimo
Denunciar
Ótimo filme... Consegue aguçar nosso critismo. Adorei vê-lo.

01/09/2009 - Janaina (15 anos)

136
  Ruim
Denunciar
Eu não gostei. Pois achei muito confuso!

08/09/2009 - Carlos (41 anos)

137
  Ótimo
Denunciar
O filme é excelente, e fácil de entender. Quem fala que não entendeu não conseguiu abrir a cabeça para uma coisa muito importante, talvez a mais importante de nossa atualidade, que é exploração do trabalho, a escravidão atual disfarçada, a gatunagem, o problema da distribuição de renda etc. O filme é fantástico e deveria passar nas escolas e nas praças públicas para o povo em geral conhecer, se instruir e exigir sua justa fatia do bolo. Comprem, vejam, divulguem.

20/09/2009 - Gleydson Frota (26 anos)

138
  Ótimo
Denunciar
O filme nos remete a seguinte reflexão sobre questionamentos. As ONG’s estão aí realmente para benefício da sociedade, ou é só uma fachada política para manter o povo sobre as “rédeas” curtas. Interesses políticos as envolvem, e por tal motivo, precisa ser melhor analisada sobre ponto de vista da sociedade em relação ao seu papel como organização não governamental. Outro ponto interessante do filme foi a seguinte questão: Será que ainda hoje existem escravos no Brasil? Será que uma pessoa que trabalha como empregada doméstica ou mesmo um funcionário de uma empresa que necessita diretamente daquele salário (pois o governo não o ajuda com saúde, moradia, educação, etc.) não é um escravo da sobrevivência? São questões interessantes para serem discutidas não somente em campos acadêmicos, mas sim perante a própria sociedade. Tudo isso dentro de associações ou mesmo na escola.

24/09/2009 - Clarissa (15 anos)

139
  Ótimo
Denunciar
O filme é realmente muito bom, traz à tona muitas questões sociais brasileiras que são vistas como algo normal, cotidianas.

28/09/2009 - Suellen (20 anos)

140
  Ótimo
Denunciar
No Filme de Sergio Biachi “ Quanto vale ou é por quilo?”. O motivo da variação de pontos de vista é contextualizado historicamente sendo apresentados casos do período escravocrata retirados do Arquivo Nacional (RJ). A intenção com atores que também representam as situações do mundo atual faz com que a comparação e a sensação de “nada muda no Brasil” sejam inevitáveis. A noção de que pessoas podiam ser propriedade de outras, ou a lógica do lucro do sistema de escravidão no Brasil. Exemplos como do capitão-do-mato que hoje estaria representado pelo matador de aluguel, Já outras parecem mais atuais, como no caso da indústria carcerária que teria se tornado cabide de empregos na construção civil nas políticas do governo e para sua propulsão a polícia intensificaria as prisões, aumentando a população carcerária e necessitando, portanto, de novas construções para acomodar toda essa gente. O filme Quanto vale ou é por quilo? Mostra como a sociedade brasileira, caracterizada pela transferência de responsabilidade do interesse público para o privado, torna-se mercadoria aquele que ajuda. A postura positiva para a obtenção de retorno. A batalha entre minorias e maioria, sendo que os primeiros são domesticados por aqueles que são “bons. ” Marketing social, apoio do cliente-cidadão que, sem questionar, confia nos projetos sociais promovidos pelas empresas e uma possível teia de corrupção, são as respostas lucrativas que uma empresa do Terceiro Setor pode receber, o mesmo aparece no filme como uma empresa. A Responsabilidade Social ou solidariedade são como uma nova indústria que gerencia a miséria e os miseráveis. Trazendo em conta a idéia liberalista privatiza os lucros e sociabiliza as pernas, no caso de passando esse lucro as ONGs. Tratar dessa maneira do mercado da solidariedade, do assistencialismo e voluntarismo, da disputa competitiva pela pobreza, da idéia de inclusão digital que superfatura na compra de computadores de terceira linha e ainda se utiliza de funcionários pobres para abrir contas paralelas, “laranjas”, da corrupção generalizada no assalto ao dinheiro público. A frase mais marcante do filme “O que vale é ter liberdade para consumir, essa é a verdadeira funcionalidade da democracia". Sem dúvidas põem em pauta a idéia de liberdade de mercado, onde quem não tem como consumir é tido como inválido para sociedade. O atual jogo democrático e de participação da sociedade civil em prol de demandas não atendidas pelo Estado, as ONGs, ou o terceiro setor, como se convencionou chamar - aparecem no filme funcionando como empresa, incorporando seu discurso típico e objetivando o lucro. A idéia de dois finais dá a entender que mesmo que não sejam apenas aquelas as opções como a idéia de lucro, mas também a de que somos nós que daremos novos desfechos para a História.

09/10/2009 - Paola Assis (18 anos)

141
  Ótimo
Denunciar
O filme é ótimo, tem tudo pra mostrar à sociedade, o porquê de tanta injustiça com a população mais carente e abrir os olhos de quem acha que seu dinheiro está indo para um certo investimento. Prestar atenção nessas mínimas coisas, fariam com o que a população com baixo custo, tivesse um pouco mais de cidadania e dignidade, sem ter medo do governo. Minha nota é 10, pois o filme foi muito bem produzido e tem um enredo muito objetivo, mas não foge dos detalhes, tem atores que encenam com muita vontade e entram realmente no personagem.

03/11/2009 - Sidnei Soares (19 anos)

142
  Ótimo
Denunciar
Foi um dos melhores filmes que mostra um pouco da realidade brasileiras vivida durante todo o século xxvi, me surpreendei muito com o filme, pois, é o trata p atual cenário brasileiro mesmo depois da abolitura da escravidão. Parabéns pelo filme.

04/11/2009 - Janaina (19 anos)

143
  Ótimo
Denunciar
Pessoal assisti ao filme agora recentemente em sala de aula. Amei principalmente porque gosto de história, mas relata apenas a crua realidade que aqueles que estão acima de nossos poderosos nos exploram muito! Indiquem o FILME documentário a todos!

04/11/2009 - Ruthe (15 anos)

144
  Ótimo
Denunciar
Algumas partes gostei, mas outras meio confusas! MAS FOI MARA!

16/11/2009 - Ronaldo (32 anos)

145
  Péssimo
Denunciar
Esse filme e uma porcaria não serve pra nada e só podia ser brasileiro.

18/11/2009 - Débora (15 anos)

146
  Ótimo
Denunciar
O filme retrata a realidade brasileira em muitos casos, e em casa caso, é comparado com a época da escravidão. Por ser um filme que mostra a realidade, não se tornou um filme com tanto sucesso, apesar de merecer.

18/11/2009 - Elzilene de Sales (31 anos)

147
  Ótimo
Denunciar
O filme é excelente, preparei uma oficina (4h) muito legal com ele. Depois passarei o resultado com os alunos.

23/11/2009 - Thaís (18 anos)

148
  Bom
Denunciar
Há muitas pessoas que dizem que o filme, principalmente por ser brasileiro, é ruim... Ao contrário de alguns, achei o filme muito importante, para retratar aos brasileiros, como era o nosso povo.

25/11/2009 - Reginavic (38 anos)

149
  Ótimo
Denunciar
Se fosse na época da ditadura, estariam todos mortos. O filme é excelente! Vamos acordar Brasil... Vamos sair da zona de conforto e colocar os olhos na massa e as mãos também. Aonde estão aqueles que votamos? Prestemos mais atenção às urnas, e mesmo assim... É arriscado passar mais um século de vergonha social.

26/11/2009 - Gabriela (14 anos)

150
  Ótimo
Denunciar
No Filme de Sergio Biachi “ Quanto vale ou é por quilo?”. O motivo da variação de pontos de vista é contextualizado historicamente sendo apresentados casos do período escravocrata retirados do Arquivo Nacional (RJ). A intenção com atores que também representam as situações do mundo atual faz com que a comparação e a sensação de “nada muda no Brasil” sejam inevitáveis. A noção de que pessoas podiam ser propriedade de outras, ou a lógica do lucro do sistema de escravidão no Brasil. Exemplos como do capitão-do-mato que hoje estaria representado pelo matador de aluguel, Já outras parecem mais atuais, como no caso da indústria carcerária que teria se tornado cabide de empregos na construção civil nas políticas do governo e para sua propulsão a polícia intensificaria as prisões, aumentando a população carcerária e necessitando, portanto, de novas construções para acomodar toda essa gente. O filme Quanto vale ou é por quilo? Mostra como a sociedade brasileira, caracterizada pela transferência de responsabilidade do interesse público para o privado, torna-se mercadoria aquele que ajuda. A postura positiva para a obtenção de retorno. A batalha entre minorias e maioria, sendo que os primeiros são domesticados por aqueles que são “bons. ” Marketing social, apoio do cliente-cidadão que, sem questionar, confia nos projetos sociais promovidos pelas empresas e uma possível teia de corrupção, são as respostas lucrativas que uma empresa do Terceiro Setor pode receber, o mesmo aparece no filme como uma empresa. A Responsabilidade Social ou solidariedade são como uma nova indústria que gerencia a miséria e os miseráveis. Trazendo em conta a idéia liberalista privatiza os lucros e sociabiliza as pernas, no caso de passando esse lucro as ONGs. Tratar dessa maneira do mercado da solidariedade, do assistencialismo e voluntarismo, da disputa competitiva pela pobreza, da idéia de inclusão digital que superfatura na compra de computadores de terceira linha e ainda se utiliza de funcionários pobres para abrir contas paralelas, “laranjas”, da corrupção generalizada no assalto ao dinheiro público. A frase mais marcante do filme “O que vale é ter liberdade para consumir, essa é a verdadeira funcionalidade da democracia". Sem dúvidas põem em pauta a idéia de liberdade de mercado, onde quem não tem como consumir é tido como inválido para sociedade. O atual jogo democrático e de participação da sociedade civil em prol de demandas não atendidas pelo Estado, as ONGs, ou o terceiro setor, como se convencionou chamar - aparecem no filme funcionando como empresa, incorporando seu discurso típico e objetivando o lucro. A idéia de dois finais dá a entender que mesmo que não sejam apenas aquelas as opções como a idéia de lucro, mas também a de que somos nós que daremos novos desfechos para a História.

01/12/2009 - Crislaine (16 anos)

151
  Ótimo
Denunciar
Bom para esse filme é pouco ele é EXCELENTE!

12/01/2010 - Bia (50 anos)

152
  Ótimo
Denunciar
Excelente filme, quem tem um pouco de consciência do que vivemos hoje, com tanto dinheiro nas cuecas, meias e etc percebe o quanto o filme retrata esta realidade, e o pior se tentarmos fazer alguma para recuperar a dignidade do nosso povo, vamos acabar que nem a personagem do filme que tentou reaver seus direitos e foi eliminada. Isto é muito triste e muito vergonhoso, tanto dinheiro nosso, acabar em mãos de quem não tem compromisso nenhum com a sociedade e lança mão do que não é seu deixando cada vez mais as pessoas de baixa renda a margem dessa sociedade desigual, que não fornece, saúde, segurança, qualidade de vida e dignidade, descumprindo com o que deveria de ser o nosso orgulho como cidadão o simples cumprimento da constituição brasileira.

15/02/2010 - Guimaraes (57 anos)

153
  Ótimo
Denunciar
Assistir ao filme por duas vezes, é excelente. Realmente, a impunidade e a corrupção no Brasil tem uma extensão maior do que a superficie deste país. Nada mudou. O que prevalece é o poder e a riqueza que bocanha injustamente a maior parte desta sociedade lesionada.

05/03/2010 - Mariana (13 anos)

154
  Ótimo
Denunciar
Eu assisti na escola, achei muito interessante e legal, achei muito bem produzido.

06/03/2010 - Normanda (38 anos)

155
  Ótimo
Denunciar
O filme retrata um painel de duas épocas diferentes, mais que são muito semelhantes. Embalada pela corrupção impune, pela violência e pelas enormes diferenças sociais!

06/03/2010 - Maria Ester R Santos (48 anos)

156
  Ótimo
Denunciar
Assiste a esse filme recentemente na aula de Linguagem, Trabalho e Tecnologia e achei muito interessante a comparação entre a época da escravidão e os tempos atuais. A realidade atual fica escancarada nesse filme e nos faz refletir o quão responsáveis somos pela desigualdade social que ainda persiste. Concordo parcialmente que as ONG´s visam somente o lucro, pois existem muitas organizações empenhadas não somente em ajudar as pessoas carentes, mas também em capacitá-los para que possam se tornar um cidadão.

16/03/2010 - Marina (22 anos)

157
  Ótimo
Denunciar
Vi o filme na faculdade e estou realizando uma resenha critica sobre o mesmo é um filme que mostra o passado em uma realidade tão presente mostra um Marketing Capitalista o aproveitamento da situação da realidade Brasileira das diferenças sociais para o Lucro da Organizações não governamentais.

21/03/2010 - Leandra (33 anos)

158
  Ótimo
Denunciar
O filme é muito bom mesmo recomendo.

25/03/2010 - Rosângela (41 anos)

159
  Ótimo
Denunciar
O filme retrata a verdadeira realidade brasileira. Apesar de serem duas épocas diferentes, são situações parecidíssimas. O parâmetro feito entre a época da escravatura e os dias atuais é perfeito. Mudaram os personagens e forma de escrever, porém, o contexto é o mesmo. Com tanta desigualdade social, impunidade, violência e corrupção, é o poder e a riqueza que prevalece sobre as leis e valores. Os acontecimentos são realidades que passam desapercebidas pela sociedade que se esconde atrás de uma situação de conforto, de comodismo e de hipocrisia, principalmente quando ela se vende por uma cesta básica para políticos inescrupulosos, ao invés de olhar para esta "proposta de negociação" com olhar crítico e exigir mudanças. Este é o tipo de filme que deveria ficar espalhado em telões pelas ruas e principalmente em frente ao congresso nacional para que as cenas entrem na cabeça das pessoas para, quem sabe, uma conscientização em massa. Acorda Brasil!

08/04/2010 - Lenici (36 anos)

160
  Ótimo
Denunciar
Vi o O filme é excelente, estou fazendo uma resenha para a faculdade. Muito concreto a retratação da realidade da escravatura, como o poder dos senhores era massificante sobre os escravo. Quanto ao Brasil percebe-se a deficiência das políticas publicas para o atendimento de qualidade da população. É relatado os desvios reais das verbas destinadas as obras sociais e as falsas maneiras de fazer caridade.

03/05/2010 - @viniciusroseno (20 anos)

161
  Ótimo
Denunciar
Realmente, se fosse na época da ditadura, em hipótese alguma um filme como esse, do aclamado diretor Sérgio Bianchi poderia ser gravado.

12/05/2010 - Sônia Maria (49 anos)

162
  Ótimo
Denunciar
Maravilhoso! Precisamos demais divulgação de filmes como este que nos faz pensar.

18/05/2010 - R. Quirambú Silva (19 anos)

163
  Ótimo
Denunciar
O filme nos mostra uma realidade que nós no nosso cotidiano nos esquivamos. Sem dar a mínima importância para essa situação gritante que é a miséria neste país. Precisamos em fim buscar mais a essência da vida na nossa sociedade...

27/05/2010 - Talita (25 anos)

164
  Bom
Denunciar
No filme Quanto vale ou é por Quilo, é difícil interpretação, pois mostra duas épocas distintas, porém retrata que o tempo passa e se modifica. Durante o filme conseguimos enxergar, que o que mudou na realidade foi apenas a tecnologia. O filme consegue nos passar que a realidade em que vivemos perante a corrupção neste país já vem de tempos e nada mudou. A realidade de nossas comunidades carentes é destinada a viver consecutivamente de tempos em tempos rodeia pela corrupção e pela ganância socioeconomica. Enfim nada consegue se concluir do nosso país que desde a existência nunca deixou de ser rodeado por pessoas corruptas, vivemos em um país cheio de corrupção que nos leva cada vez mais a miséria, o que consegue se diferenciar é que os negros hoje conseguiram sua "liberdade", porém no atual universo que vivemos hoje não somos distinguidos por cor, mas sim por dinheiro. Quem tem mais leva sempre a melhor!

27/05/2010 - Genivaldo (26 anos)

165
  Ótimo
Denunciar
O filme é ótimo, retrata toda nossa realidade, as desigualdade sociais, as corrupções em torno dessas instituições. As ong's de certa forma "minimiza" a miséria, pobreza, propiciando o fortalecimento do sistema capitalista, mas não faz o mesmo papel dos movimento sociais, que é a luta de classe que reivindica, protesta contra esse sistema econômico. A equipe de produção esta de Parabéns, Nota Dez...

28/05/2010 - Valdimeire (24 anos)

166
  Ótimo
Denunciar
Excelente filme. Vivemos hoje uma semelhança grande ao século XVI, e nos se esquivamos e fazemos de conta que vivemos numa linda democracia, onde muitos faturam altos capitais na plena caridade para se tornar o outro "feliz". Agora época de eleição ouvimos discursos de políticos que se escondem atrás de mascaras para enganar grande parte de brasileiros vítimas da educação do nosso estado.

07/06/2010 - Marlene O. Rios (44 anos)

167
  Ótimo
Denunciar
Muito bom para refletirmos a nossa sociedade. Depois de alguns séculos o que muda são as nomenclaturas das ações. Temos que analisar nossas atitudes diante de tais situações.

05/08/2010 - Lelis (50 anos)

168
  Ótimo
Denunciar
Só tenho a dizer gratidão a esse brilhante e iluminado autor, que vê a realidade não de forma mascarada, mas transparente, tal como ela é, despertando os ingênuos que defendem e exaltam os "fabricantes de caridade", sem perceber que tem gente ganhando milhões pra ser bonzinho!

18/08/2010 - Elisabete Matos (53 anos)

169
  Ótimo
Denunciar
Assisti ontem a este brilhante filme, a principio fiquei horrorizada, mas a realidade do filme nos traz o sentido da educação e da família como pontos alicerçantes do indivíduo, a marginalização e a banalidade com que os mais favorecidos tratam o negro, e hoje toda a sociedade do consumo. Somos coisas que tem preço e valor comercial. Infelizmente assistindo o filme parece que não teremos fim do desastre humano diante da sociedade. O ontem esta muito presente no hoje, precisamos da consciência critica para mudarmos o futuro.

18/08/2010 - Maryane (16 anos)

170
  Bom
Denunciar
Bem verdade esse filme. O autor foi muito bom em abordar essa realidade da forma que abordou. Certíssimo.

30/08/2010 - Evandro (34 anos)

171
  Ótimo
Denunciar
Melhor filme brasileiro depois de Glauber Rocha. Magistralmente belíssimo e contindente!

02/09/2010 - Internauta (78 anos)

172
  Péssimo
Denunciar
Horrível...

14/09/2010 - Ligia (59 anos)

173
  Ótimo
Denunciar
Ótimo. Muito instigante, relevante, atual, apropriado. O público que virou privado.

16/09/2010 - Juliana (22 anos)

174
  Ótimo
Denunciar
Assistindo a este filme, podemos perceber que nossa sociedade é muito injusta. Aonde o preconceito é mascarado em todas as classes sociais, e onde infelizmente reina a política do "coitadinho". Posso dizer que o filme é muito atual.

07/10/2010 - Larissa (21 anos)

175
  Ótimo
Denunciar
É incrível como a história sempre se repete de uma forma meio mascarada, mas se repete. Filme nota 10, perfeito!

14/10/2010 - Clara (23 anos)

176
  Ótimo
Denunciar
"E" essa a realidade que vivemos é uma pena que hoje exista pessoas tão corruptas!

21/10/2010 - Vânia Matos (28 anos)

177
  Ótimo
Denunciar
O Brasil necessita criar e divulgar mais filmes como este que está comprometido com informações riquíssimas que aguçam o nosso senso crítico. Parabéns, lindo filme.

04/11/2010 - Andreia (16 anos)

178
  Ótimo
Denunciar
Eu achei o filme muito bom, nós passa que enquanto uns tem pouco outros tem muito que vivemos em um mundo corrupto o filme nos passa nos motiva por estar vendo certas situações que devemos nós reivindicar, protestar porque temos que lutar por um mundo mais digno e respeitoso o filme é ótimo nota 10.

07/11/2010 - Delfim (56 anos)

179
  Ótimo
Denunciar
A realidade deveria ser mostrada diariamente, mas só na história que podemos ver. Parabéns pela iniciativa, assim quem ver esse filme poderá tirar as conclusões a respeito da capacidade de ser do homem. O homem que explora e é explorado. Até onde vai esse homem?

11/11/2010 - Debora (32 anos)

180
  Ótimo
Denunciar
Muito bom! Recomendo!

17/11/2010 - Romulo Martins (25 anos)

181
  Ótimo
Denunciar
BRILHANTE! Um tapa na cara daqueles que enxergam a nossa sociedade com óculos cor de rosa.

27/11/2010 - Alice (21 anos)

182
  Ótimo
Denunciar
Adorei o filme ele conta a verdadeira história da escravidão...

29/11/2010 - Janetti Franco (46 anos)

183
  Ótimo
Denunciar
A analogia feita pelo autor entre as duas épocas mostra como a mídia hoje por meio de programas que se promovem mostrando a miséria do pobre, simulando uma ajuda aparente. Mas que por trás ganha realmente o dobro do realmente vale cada ajuda. O que não era diferente naquela época. Pena que esse tipo de filme não passe em emissoras grandes e em horário dito nobre. Pra mim o filme é ótimo e retrata muito bem como vive o povo brasileiro. PARABÉNS.

10/12/2010 - Anailton (27 anos)

184
  Bom
Denunciar
É muito grande a miséria das pessoas que sofre com esse mal sem poder se defender criticado sem sem oportunidade na vida o que fazer? E ai que entra a criminalidade do nosso pais na realidade de muito favela que o Brasil tem pra sobreviver tem que ser bandido ou assassino pois a sociedade não da oportunidade, só descrimina sem educação de qualidade fica difícil transformar o pais.

18/02/2011 - Irene F Neckel (46 anos)

185
  Ótimo
Denunciar
Gostei muito do filme, pois ele me ajudou muito em uma pesquisa que eu precisava fazer eu recomendo todos que puderem assistam vale a pena um elenco excelente uma imagem perfeita, parabéns.

03/03/2011 - Bruno Techno (26 anos)

186
  Ótimo
Denunciar
Filme muito interessante e totalmente crítico, ótimo elenco e boas sacadas. Esse é o país onde eu vivo.

21/03/2011 - Sândylla Roberta (17 anos)

187
  Ótimo
Denunciar
O filme mostra muitas críticas mostra muita realidade mostra como eram os escravos como eles eram tratados pelos os seu donos eram injustos, mas era para poder eles se sobreviverem...

17/04/2011 - Cirlene Rodrigues (41 anos)

188
  Ótimo
Denunciar
Excelente o filme. Infelizmente mostra que o Brasil pouco mudou a exploração continua de uma forma mais atual.

19/04/2011 - Michele (18 anos)

189
  Ótimo
Denunciar
Ótimo filme, recomendo sem pensar duas vezes! Tomara que um dia nosso cinema consiga aproveitar muito melhor filmes como este.

04/07/2011 - Denize (20 anos)

190
  Ótimo
Denunciar
Retrata nossa história, e que os problemas sociais de hoje são resultado de uma prática desde a Colônia. Práticas estas que infelizmente se perduram... Um dos poucos filmes nacionais que vale a pena assistir.

07/09/2011 - Laís (32 anos)

191
  Regular
Denunciar
Não tenho o que falar sobre a realidade de nosso país desde os primórdios e sobre o que está verdadeiramente por trás dos que "ajudam" os necessitados, é um fato! Mas não entendo como um país que faz tantas novelas maravilhosas não consegue usar essa fórmula para escrever os filmes. Não há enredo, você está vendo uma cena e do nada sem linque vai para outra sem amarração. Vejo filmes estrangeiros bem elaborados quanto expressar suas realidades. Um ou outro Nacional presta, talvez seja por isso que a maioria só passa de madrugada: cenas exageradas de violência, sexo e palavras de baixo calão (bela cultura para ensinar para aos jovens e refletir falsa ideia a cerca do Brasil)... Bom, sobre esse filme, já assisti pior.

16/09/2011 - Flávia (37 anos)

192
  Ótimo
Denunciar
Este filme nos ajuda a pensar o que está por trás de políticas como a redução da maioridade penal e a recente tentativa de internãção compulsória de crianças e adolescentes em uso de drogas. A intenção é sempre a de reproduzir e manter o perverso sistema social no qual estamos inseridos.

30/09/2011 - Vicente. (34 anos)

193
  Ótimo
Denunciar
Laís sua critica em relação ao filme, retrata a realidade do nosso país. Ainda preconceituoso e racista.

28/10/2011 - José Cláudio (39 anos)

194
  Ótimo
Denunciar
Esse filme mostra como funciona alguns ORGs no Brasil. Parabéns.

16/11/2011 - Sonia (65 anos)

195
  Ótimo
Denunciar
Tive a oportunidade de assisti-lo justo quando se inicia a Semana da Consciência Negra aqui em Santa Maria/RS. Filme instigante que denuncia a irreversibilidade da exploração seja em que época for.

24/12/2011 - Elma (35 anos)

196
  Ótimo
Denunciar
O filme é brilhante. Não perceber a dimensão do que ele trata e como trata é ter a capacidade sistêmica bem limitada. O filme não deve nada a nenhuma produção. É perfeito. E gosto de ler alguns comentários, que só refletem um dos aspectos que o filme aborda, que os tempos mudaram, mas os valores continuam, e a desigualdade social, tem cor em nosso país.

12/02/2012 - Suely (44 anos)

197
  Não vi
Denunciar
Ainda não vi o filme, mas gostaria muito de ver.

26/02/2012 - Joana (53 anos)

198
  Ótimo
Denunciar
Joana, Este filme retrata a situação de nosso País, de como era e que até hoje pouco mudou, as leis mudaram, mas os personegens continuam os mesmos, mentirosos, corruptos, enganadores, falastrões, as leis existem, mas parece que só serve para os pobres, e os colarinhos brancos onde se meteram, ninguém enxerga as suas maracutaias?

01/03/2012 - Adlaire (40 anos)

199
  Bom
Denunciar
Assisti ao filme e, achei interessante vi que do ontem para o hoje nada mudou na realidade do nosso país!

10/04/2012 - Isnaldo C Santos (54 anos)

200
  Ótimo
Denunciar
Não sou adepto de comentários pessimistas. Nosso país indubitavelmente avançou na prática democrática e socialmente. Entretanto, estamos ainda engatinhando em práticas que parecem novas e que reproduzem o que demais cruel existe em nossa sociedade desde o tempo colonial. Um olhar crítico sobre o Terceiro Setor e produções artísticas que denunciam o lucro fruto do oportunismo dos que dele se beneficiam, é contribuição relevante para o aperfeiçoamento da nossa sociedade. E este filme cumpre bem este papel.

11/04/2012 - Giuliana Faillace Camilo (15 anos)

201
  Regular
Denunciar
Concordo totalmente Isnaldo, o filme mostra a péssima realidade do nosso país, que infelizmente não acabou ainda, como você disse, desde o tempo colonial. Somos forçados a aceitar esta cruel verdade, pois até os que tentar ajudar acabam se dando mal no meio de tantas pessoas que só querem "se dar bem às custas dos outros" e isso é muito bem mostrado no filme! Agora sobre filmes brasileiros, na minha opinião, é certo que ultimamente temos avançado muito nesse quesito, porém a precaridade nacional ainda é bem vista, principalmente em filmes como este.

11/04/2012 - Vitor Lima (16 anos)

202
  Bom
Denunciar
Para mim este filme demonstra que a mutas nesse mudo que são bondosas e querem ajudar os que necessitam, mas também há pessoas que se aproveitam desse recurso para beneficio próprio como uma maneira de lucrar por exemplo.

12/04/2012 - Alexandre Costa (34 anos)

203
  Bom
Denunciar
Mostra um painel de duas épocas aparentemente distintas, mas, no fundo, semelhantes na manutenção de uma perversa dinâmica sócio-econômica, embalada pela corrupção impune, pela violência e pelas enormes diferenças sociais. No século XVIII, época da escravidão explícit... a, os capitães do mato caçavam negros para vendê-los aos senhores de terra com um único objetivo: o lucro. Nos dias atuais, o chamado Terceiro Setor explora a miséria, preenchendo a ausência do Estado em atividades assistenciais, que na verdade também são fontes de muito lucro mostra que o tempo passa e nada muda. O Brasil é um país em permanente crise de valores...

12/04/2012 - Mayara Souza Monnerat (18 anos)

204
  Ótimo
Denunciar
"Quando Vale ou É por Quilo?" é um filme brasileiro que retrata a realidade de duas épocas da sociedade brasileira diferentes, mas que apesar de não parecer tem muito em comum. Acredito que essa analogia feita pelo roteirista quis mostrar que apesar de tanto tempo de diferença entre essas fases da nossa história, o nosso país continua o mesmo em termos de desigualdade social. Além de mostrar a falsa solidariedade presente em vários projetos de ONGs existentes por todo o país. O filme é cheio de críticas a nossa história e a realidade atual do nosso país, é bom, essencial e indispensável poder abordar esse tipo de situação. Mesmo depois de tantos anos, nosso país não conseguiu se livrar de certos comportamentos... Ótimo filme! Recomendo...

23/04/2012 - Tatiana Carmo Aliberto (16 anos)

205
  Ótimo
Denunciar
O filme mostra como os escravos vivi, o que eles sofreram, o que eles precisavam fazer para serem libertos. Vendo o filme é bem melhor porque você tem uma ideia de como realmente era a vida deles. Muito bem criado, muito bem feito esse filme. Recomendo para ser visto.

23/04/2012 - Letícia Chalréo (16 anos)

206
  Bom
Denunciar
Nesse filme pode-se observar que o Brasil precisa ser revisto em sua política, pois a mesma ilude o nosso povo com promessas inúteis ou com festas como o carnaval e o futebol que fazem com que as pessoas descentralizem seu foco do que realmente é importante. O nosso Brasil hoje tem muitas semelhanças com o Brasil do filme. Outro ponto importante do filme é quando os negros são explorados e discriminados onde pode ser feita uma certa ligação com o Brasil atual, onde o racismo ainda é muito grande.

24/04/2012 - Beatriz Delgado da Silva (15 anos)

207
  Bom
Denunciar
O filme de Sergio Bianchi trata o passado vivido pelos escravos. Eram tratados como mercadorias, e precisavam trabalhar duro. E relaciona essa situação com a exploração da miséria atual pelo marketing social. Demonstra a situação social que o nosso pais viveu no período colonial, e que esta presente até os dias de hoje.

24/04/2012 - Tadeu Carvalhal Machado (16 anos)

208
  Ótimo
Denunciar
É um filme bem interessante, que, como já foi dito anteriormente, mostra a realidade do nosso país explicitamente. Foram os fatos tão bem apresentados e interpretados que me chamaram a atenção no filme. A referência à época da escravidão, comparando as posições sociais com as de hoje, foi muito bem colocada.

24/04/2012 - Matheus Deccache (15 anos)

209
  Regular
Denunciar
O filme, apesar de mostrar uma realidade dos brasileiros, que, ao mesmo tempo há pessoas boas e ruins, é um filme cansativo. O filme tem um enredo interessante, porém, não prende sua atenção.

24/04/2012 - Adriana Cunha (15 anos)

210
  Bom
Denunciar
O filme nos mostra uma triste realidade: mesmo com a abolição da escravatura e toda a mudança econômica, a situação vivida por alguns brasileiros hoje em dia ainda é (infelizmente) muito parecida com a vivida anteriormente pelos escravos.

25/04/2012 - Júlio Cesar (16 anos)

211
  Regular
Denunciar
No filme é citado como uma realidade que é supostamente real. No qual o compara a escravidão com os tempos atuais. O filme possui um conteúdo interessante e que nos faz refletir.

25/04/2012 - Matheus Mendes (15 anos)

212
  Bom
Denunciar
O filme apresenta o que é vivido por uma grande parte dos brasileiros. Foram mostrados também alguns fatos que foram bem apresentados e interpretados, podendo nos mostrar com clareza uma realidade que acontece ao nosso redor. E tiro a conclusão que esse filme quer nos mostrar o que devemos observar e rever o que podemos mudar em relação a isso.

25/04/2012 - Ariane Ferreira (15 anos)

213
  Regular
Denunciar
O filme mostra que apesar do fim da escrvidão, as pessoas ainda são exploradas por quem tem mais influência para seu benefício próprio.

02/05/2012 - Juliana Sousa (16 anos)

214
  Regular
Denunciar
O filme mostra a realidade vivida pelas pessoas desde a época da escravidão até os dias de hoje, fazendo uma comparação. Mostra ainda que hoje ainda existem boas pessoas, mas também pessoas ruins. Achei um bom filme, mas não tem muitos "atrativos".

03/05/2012 - Felipe Xavier (16 anos)

215
  Regular
Denunciar
O filme mostra a realidade daquela época. Mas mostra também que mesmo com o fim da escravidão algumas pessoas continuam como "escravas".

13/05/2012 - Fernanda Loydi (30 anos)

216
  Ótimo
Denunciar
O filme é cansativo, mas muito inteligente! Crítica muito boa e afiada à realidade brasileira, tratando de exploração, corrupção, hipocrisia, ignorância, pobreza e outros temas que transpassam as décadas.

13/05/2012 - Vanessa Guarino (16 anos)

217
  Bom
Denunciar
O filme mostra a triste realidade que os escravos viviam naquela época, muitas pessoas sofrem preconceitos hoje em dia. As crianças crescem sabendo do que os negros passaram naquela época. Mesmo tendo a abolição da escravidão, pessoas continuavam sendo exploradas e o filme mostra essa realidade. Gostei do filme.

27/05/2012 - Camila Pereira (21 anos)

218
  Ótimo
Denunciar
Achei mil este filme muito significativo para mil.

30/06/2012 - Veronica (18 anos)

219
  Ótimo
Denunciar
O filme mostra a realidade que o tempo passa e nada muda nessa porcaria.

05/09/2012 - Kassio (15 anos)

220
  Ótimo
Denunciar
Muito bom o filme, nunca tinha ouvido falar, assisti na escola e me impressionei não só pela boa história, mas por conter grandes atores brasileiros e famosos, recomendo o filme é ótimo.

24/09/2012 - Osvaldo Gonçalves (39 anos)

221
  Ótimo
Denunciar
O filme é realmente extraordinário, faz nos refletir sobre o abandono dos escravisados e a maneira como são tratados os mais carentes, onde o interesse pelo dinheiro fala mais alto, a corrupção, a ganância superior a vida. Mesmo os que dizem proteger, pensam em tirar proveito, é hora de começar analisar nossas ações!

27/10/2012 - Rosiane Silva (16 anos)

222
  Ótimo
Denunciar
O filme mostra uma realidade que tem muita pessoas que ainda passam por isso. O racismo. Relata também o embalo pela corrupção impunes pela violência e pela enorme diferença social e a miséria que é bastante explorada.

18/05/2013 - Margareth (50 anos)

223
  Ótimo
Denunciar
Muito bem feita a comparação entre o tratamento similar dado aos escravos, no século XVIII, e aos negros e pobres do século XXI. Fiquei impressionada com a clareza do filme e recomendo.

22/05/2013 - Fabiana Santos (31 anos)

224
  Ótimo
Denunciar
Perfeita a comparação que o filme nos mostra, onde o trabalho escravo, a hipocrisia, a maldade, a desonestidade, ainda continuam vivas em nosso meio. Em pleno seculo XXI, e de onde menos se espera, e que vem, por ex:os que dizem que quer ajudar tiram proveito da situação, tratam pessoas como coisa sem se importar com elas, visando apenas lucro, foi assim é assim e para tristeza de muitos acredito que sempre haverá capitão do mato em nosso meio. O filme é excelente recomendo, é verdade pura.

11/06/2013 - Loreta (33 anos)

225
  Regular
Denunciar
Muito triste! Os escravos sofriam demais...

27/10/2013 - Ana Maria (48 anos)

226
  Regular
Denunciar
Não gostei! E muito monstruoso mais e a nossa realidade e da nossa sociedade, preconceito, pobreza, exploração, corrupção e muita pouca vergonha das pessoas se aproveitando da miséria dos outros para tira lucros. Ainda vivemos com gente sendo escravizada em pleno seculo XXI.

06/04/2014 - Arimatéa (52 anos)

  Ótimo
Denunciar
Também achei o filme muito cansativo, contudo, muito criativo e muito prático para que os professores de todo o Brasil mostre esse filme aos seus alunos. Os alunos vão ver o que foi a escravidão no Brasil nessa época do Séc. XVIII. "UMA VERGONHA PARA O Brasil, NESSA ÉPOCA. ".

06/05/2017 - Anselmo (51 anos)

  Ótimo
Denunciar
Entendo que desde que o capitalismo emerge seu poder com toda força a partir do séc XVIII e chega nos dias atuais com as mesma essência e seus fenômenos, onde a exploração em favor do seu lucro.

09/06/2018 - Kassio Freitas (21 anos)

  Ótimo
Denunciar
Que filme tenso e forte, dois contrapontos atuais e bastante controversos, vi este filme a anos na escola, e esses dias revi e a revolta permanece, aliás já maior pude ver o valor deste filme e os pontos que ele toca, além do elenco magnífico, a história é muito bem amparada e fica evidente tantos preconceitos da sociedade de antigamente, de 2005 e de 2018, um único defeito seria o elenco muito grande, alguns personagens são pouco explorados e se perdem ao longo da história.

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho, mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiter? Sim / Não     Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:

Últimos Visitados

Quanto Vale Ou É Por Quilo? (Quanto Vale Ou É Por Quilo?)

Copyright © 2020 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.