Life - Um Retrato de James Dean

  (Life)

Sinopse


Década de 1950. Durante a festa de um dos figurões da indústria hollywoodiana da época, o fotógrafo Dennis Stock conhece o então pouco badalado, mas promissor ator James Dean. Às vésperas do lançamento de seu novo filme, a vida de Jimmy (como Dean era conhecido entre os mais próximos) não era fácil: além do relacionamento conturbado com a atriz Pier Angeli, Dean não parecia muito à vontade com a fama, apesar dos esforços dos estúdios para transforma-lo em um astro. Prevendo a inevitável ascensão do artista, Stock decide apostar suas fichas em um ensaio fotográfico com Jimmy, mesmo que para isso ele tenha que colocar em risco sua própria carreira.

Informações


Título no Brasil Life - Um Retrato de James Dean
Título Original Life
Ano Lançamento
Gênero Drama
País de Origem Reino Unido / EUA / Alemanha / Canadá / Austrália
Duração111 minutos
Direção
Estreia no Brasil 21/07/2016
Estúdio/Distrib. Paris Filmes
Idade Indicativa 14 anos

Elenco


... Dennis Stock
... Nicholas Ray
>> Ver todo o Elenco...

Trilha Sonora


“I'm Wild About You Baby”Escrita por Bob Shad
Interpretada por Lightnin Hopkins (como Lightening Hopkins)
“Such a Night”Escrita por Lincoln Chase
>> Ver toda a Trilha Sonora...

Trailer



Comentários


21/07/2016 - Fvfraga (30 anos)

21/07/2016
Fvfraga (30 anos)

  Ótimo
Denunciar
[[[parágrafo]]]Muitas vezes esquecemos que vídeos são uma sequência de fotografias, apresentadas em movimento, que assistimos em uma tela. A forma como nos relacionamos com o cinema atualmente, através da internet, também nos faz ignorar a importância que outras mídias tiveram na divulgação de determinados artistas, ainda mais nas primeiras décadas da indústria cinematográfica. Ensaios fotográficos para revistas como a ‘Life’ já foram extremamente importantes para a fama de atores, principalmente antes de a tecnologia da informação democratizar o consumo de fotos e vídeos, através da internet. [[[parágrafo]]]Filmes também são um produto de mercado, que dependem de diferentes tipos de propaganda para obterem sucesso comercial e para tornarem seus astros famosos. Fotos publicadas em revistas já foram uma forma muito popular de o público se relacionar com o cinema e conhecer um pouco mais da vida de seus atores e atrizes preferidos e conhecer novos talentos em potencial. Muitas imagens já foram decisivas na carreira de artistas, tanto para melhorá-los aos olhos do público, quanto para denegri-los. Mesmo na nossa atual era digital, revistas como a Entertainment Weekly, ainda geram um frisson coletivo, quando lançam alguma imagem exclusiva em suas capas, principalmente quando são de filmes adaptados de quadrinhos. [[[parágrafo]]]Ninguém melhor do que um diretor, que também é fotógrafo, como Anton Corbjin, para abordar uma relação entre cinema e fotografia que ainda é muito importante e que teve relação direta na construção de ícones do cinema como James Dean. Corbjin já impressionavam com a bela fotografia, em preto e branco, de seu primeiro longa-metragem como diretor ‘Controle: A História de Ian Curtis’ de 2007, sobre um outro artista símbolo da juventude, só que da música, que também morreu precocemente, aos 23 anos. Ainda que ele não fosse o único responsável, pois quem assinou a direção de fotografia foi Martin Ruhe, parceiro também em seu segundo longa ‘Um Homem Meisterioso’ de 2010. Em ‘O Homem Mais Procurado’ de 2014, a fotografia também foi um dos pontos fortes, assinada por Benoît Delhomme. [[[parágrafo]]]Então, já ficou estabelecido que filmes competentemente fotografados e deslumbrantes são uma constante na carreira de Anton Corbjin e em ‘Life: Um Retrato de James Dean’ isso não é diferente. Porém, neste seu trabalho mais recente ele foi além, retratando a importância que as fotografias de Dennis Stock, para a revista ‘Life’, tiveram no estabelecimento de James Dean como um ícone no imaginário do público. Mais do que isso, ‘Life’ é um recorte dos poucos dias que Stock e Dean passaram juntos, mas que revelaram muito do pouco que sabemos do astro, “encarnação” da rebeldia e angústias da “juventude transviada” da década de 50. [[[parágrafo]]]James Dean simboliza uma geração, que se viu representada no cinema através de seus personagens, mesmo que ele tenha atuado em apenas seis longas-metragens, sendo que apenas três como personagem principal, até sua morte em um acidente de carro, em 1955 aos 24 anos. Para quem nunca pesquisou a respeito e se pergunta, por que ele é tão cultuado no mundo cinéfilo, o fato de que ele é um dos cinco atores que recebeu uma indicação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas na categoria de melhor ator em uma de suas cinco primeiras aparições no cinema, exemplifica seu destaque na época. [[[parágrafo]]]Além disso, sua indicação por ‘Vidas Amargas’ de 1955 foi a 1ª indicação póstuma de um ator na história da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Sua indicação por ‘Assim Caminha a Humanidade’ de 1956, foi a 2ª. É o único ator a ter recebido mais de uma indicação póstuma ao Oscar na história da premiação. Ficou em 33º lugar na lista das 100 maiores estrelas do cinema de todos os tempos, realizada pela revista britânica Empire. Possui uma estrela na Calçada da Fama, localizada em 1719 Vine Street. [[[parágrafo]]]Dane DeHaan seria um James Dean improvável, pois, os dois são fisicamente pouco parecidos - caso os espectadores que se incomodam com isso queiram conferir, James Franco em ‘James Dean’ de 2001, apresentava um biótipo mais parecido. Entretanto, a interpretação de DeHaan, ao lado de Robert Pattinson, que vive o fotógrafo Dennis Stock, superam qualquer estranhamento inicial e logo estabelecem uma relação crível. Os dois transmitem o tipo de amizade naturalmente desconfortável entre quem se conhece pouco, vinculo que se fortalece cena a cena, sem muitas palavras, a cada clique da máquina fotográfica. E essa conexão dos dois, assim como o próprio ato de fotografar, são muito bem expressados na frase do próprio fotógrafo-personagem, “a fotografia é uma maneira de dizer: eu estive aqui, você esteve aqui”. [[[parágrafo]]]A ambientação cênica dos anos 50, também é muito bem recriada e inspirada pelas próprias fotos que Stock bateu de Dean. Certamente que o longa-metragem é muito eficaz em induzir o interesse do espectador, em sair da sala de cinema com vontade de ver as fotos originais, para comparar com as cenas do filme, desejo que é concedido durante os créditos finais. Uma obra que tem o poder de despertar no público uma antiga forma de se relacionar com o cinema, sem dúvida um filme aprazível, que merece ser assistido e aplaudido.

22/07/2016 - Sérgio Sarmento (62 anos)

22/07/2016
Sérgio Sarmento (62 anos)

  Ótimo
Denunciar
Assisti NO CINEMA nesta data. Quando do lançamento em
nível nacional. Olha! Mais uma belíssima cinebiografia que o cinema nos apresenta. Mas sem surpresa alguma, pois o diretor holandês Anton Corbijn é muito bom. Assisti dele três filmes até hoje. Sendo o último uma beleza chamado O Homem Mais Procurado (2014). Com o comentário pertinente no site IF em 13.10.2014. O curioso é que este filme foi o último do grande ator Phillip Seymour Hoffman. Mas esta obra Life nos mostra o ocaso de um dos maiores mitos do cinema. Estou falando do ator James Dean. Quando Jimmy (seu nome para os íntimos) se envolve e morre em 30.09.1955, com seu Porsche, a 150 KM por hora no interior da Califórnia, não morria ali só um mito, mas terminava ali, com ele, o último grande ícone do cinema norte americano. Um cara realmente que "vendia" atos de provocador, contestador, mas acima de tudo rebeldia. Mas, também, o filme nos mostra que a coisa não era bem assim. Pois nos informa que o cara tinha um lado humano muito pouco explorado. A importância de James Dean é grande. O filme, no geral, nos fala de uma linda história verídica no ano de 1955, os últimos da vida do ator. O filme tem uma notável reconstituição de época. Com uma cor em cinza (os dias são sombrios) como a tentar explicar os fatos e acontecimentos (sete meses antes) do dia fatídico de sua morte. O ator que faz James Dean, Dane DeHaan, está muito bem. Até os trejeitos o cara faz com sucesso. Mas por outro lado quem continua uma nulidade na arte de representar é Robert Pattinson ele faz o fotografo profissional da Life e amigo de James Dean. O cara simplesmente continua inexpressivo e com isso amorfo e desclassificado em sua atuação. Finalmente quero dizer que das três obras que Jimmy atuou em sua curta vida de 24 anos. Tão somente duas é citada no filme. Mas principalmente Vidas Amargas (1955) já filmado e pronto para ser lançado. A outra é o filme que viria a ser filmado que é Juventude Transviada (1955). O curioso é que Assim Caminha a Humanidade (1956). Nunca é citado nesta cine biografia! Será pôr quê? Para mim é e será um grande mistério deste roteiro quase perfeito do filme LIFE.

26/07/2016 - Jarbas Carvalho (34 anos)

26/07/2016
Jarbas Carvalho (34 anos)

  Péssimo
Denunciar
Assisti hoje e não gostei. Filme para pessoas chatas que se contentam com porcarias. Não percam tempo com isso.

26/10/2016 - Maria do Carmo (50 anos)

26/10/2016
Maria do Carmo (50 anos)

  Ótimo
Denunciar
Filme ótimo. Gostei muito! Uma bela retratação da época. Muito boa a interpretação do ator que faz o papel de James Dean (Dane DeHaan). Pena que o Robert Pattinson (saga Crepúsculo) tem sempre a mesma expressão em qualquer papel. Infelizmente ele não me convence como ator. Mas, o restante do filme é sensacional. James Dean, em sua curta trajetória como ator, se tornou um ícone que marcou toda uma geração. Ele foi uma personalidade muito à frente de sua época. Pena que se foi muito jovem (24 anos), no auge de sua carreira.O filme tem uma atmosfera muito elegante, a meu ver. Recomendo para os fãs do ator e para quem gosta de cinema. PS:Saudades do amigo Sérgio Sarmento. Abraços amigo! Ah, homenageio também aqui o meu pai que, desde que eu era criança, falava do James Dean, pois, assistia seus filmes no cinema.

27/10/2016 - Henrique (58 anos)

27/10/2016
Henrique (58 anos)

  Ruim
Denunciar
Tinha uma ideia tão diferente de James Dean, o imaginava agitado e quase rebelde, se ele foi como no filme, caraca! Que cara chato, de fala mole e desanimado. Quanto ao filme também não gostei, puro tédio.

18/04/2017 - Luiz A. (69 anos)

18/04/2017
Luiz A. (69 anos)

  Ótimo
Denunciar
Ótimo filme mostrando um outro lado que não se imaginavam sobre o James Dean.

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho (spoiler), mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiler? /    
Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:


Últimos Visitados

Life - Um Retrato de James Dean (Life)

Copyright © 2021 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.