Em Nome da Lei


Sinopse


Vitor (Mateus Solano) é um jovem juiz federal recém-chegado na cidade de Fronteira, disposto a desmontar um esquema de contrabando e tráfico de drogas na região. Para prender Gomez (Chico Diaz), ele vai contar com a ajuda da procuradora Alice (Paolla Oliveira), por quem se apaixona, e da equipe do policial federal Elton (Eduardo Galvão).

Informações


Título no Brasil Em Nome da Lei
Título Original Em Nome da Lei
Ano Lançamento
Gênero Ação / Drama / Suspense
País de Origem Brasil
Duração115 minutos
Direção
Estreia no Brasil 21/04/2016
Estúdio/Distrib. Fox Filmes
Idade Indicativa 14 anos

Elenco


... Vitor
... Alice
>> Ver todo o Elenco...

Trailer



Comentários


22/04/2016 - Fvfraga (29 anos)

22/04/2016
Fvfraga (29 anos)

  Bom
Denunciar
[Parágrafo]Após ‘Tropa de Elite’ o cinema brasileiro tem redescoberto o gênero policial como produto cinematográfico. Filmes como ‘Federais’ de 2010 e o recente ‘Operações Especiais’ de 2015 são exemplos dessa nova safra. Todos são cheios de problemas e ainda utilizam demais a fórmula Globo Filmes que se assemelha muito às suas novelas. Entretanto, o crescimento desse mercado pode ser bem-vindo, se tiver o poder de levar mais pessoas ao cinema. [Parágrafo]Por muito tempo o nosso cinema produziu esse tipo de longa-metragem, sem explorar seu grande potencial de bilheteria, geralmente associando essas produções à temática da ditadura de forma engajada. São representantes disso, filmes como ‘O Que é Isso Companheiro’ de 1997. O diferencial de filmes como ‘Em Nome da Lei’ (2016) e os citados no parágrafo anterior é que eles têm uma fórmula mais hollywoodiana ou mais “pipocão”, que privilegia o entretenimento e deixa a crítica-social em segundo plano. Claro que seria melhor se eles conseguissem equilibrar as duas coisas, como nos dois primeiros longas de ficção de José Padilha, mas nem todo filme policial vai conseguir manter a qualidade de um ‘Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora é Outro’ de 2010. [Parágrafo]‘Em Nome da Lei’ é inspirado em fatos reais que aconteceram com o juiz federal Odilon de Oliveira, que ficou nacionalmente conhecido por prender traficantes de drogas na fronteira do Brasil com o Paraguai. Atualmente ele vive sob forte escolta de policiais federais e atua na Justiça Federal de Campo Grande/MS, além de ser o responsável pela Penitenciária Federal da mesma cidade. Em uma atualidade como a nossa, em que juízes como Sérgio Moro, cada vez mais influenciam na esfera política e em poderes que ultrapassam o judiciário, influenciando no executivo e no legislativo, a temática é extremamente relevante para a nossa realidade. [Parágrafo]Tecnicamente a produção é competente, a direção, a edição, a montagem e a trilha sonora, apesar de não serem memoráveis, conseguem atribuir um bom ritmo, que mantém a atenção do espectador na maior parte do tempo. O elenco foi bem escolhido e é o melhor aspecto do filme. Mateus Solano que interpreta o personagem principal (o honesto juiz Victor) é carismático e conduz bem a narrativa, com nuances entre a ingenuidade e a ansiedade próprias da juventude profissional. Paolla Oliveira (a promotora Alice) e Eduardo Galvão (o policial federal Elton) acrescentam qualidade para a história. Além de Solano, Chico Diaz também se destaca, fazendo “o poderoso chefão” da fronteira brasileiro-paraguaia (Gomes “El Hombre”), pois, apesar de fazer um vilão estereotipado, convence com sua expressão de poucos amigos. [Parágrafo]O roteiro é relativamente bem-escrito e conduz o enredo em uma efetiva tensão crescente. Na história o juiz Victor (Solano) é designado para a cidade Fronteira, na divisa com o Paraguai. Decidido a acabar com o tráfico organizado ele enfrenta os traficantes com a ajuda de Alice (Oliveira) e Elton (Galvão), entrando em conflito direto com os interesses de Gomez (Dias). Vale ressaltar a interessante atuação do Oficial de Justiça interpretado pelo dublador Gustavo Nader (que dublou, entre outros inúmeros trabalhos, Shia LaBeouf em Constantine e Paranóia), que aparece rapidamente em vários momentos do filme, mas que de certa forma se destaca, roubando a cena quando aparece, representando diferentes formas de se “fazer justiça”, chegando a exercer uma função importante no desfecho da narrativa. [Parágrafo]Sergio Rezende se destacou por dirigir filmes históricos como ‘Salve Geral’ de 2009, ‘Zuzu Angel’ de 2006, ‘Mauá - O Imperador e o Rei’ de 1999, ‘Guerra de Canudos’ de 1997, Lamarca de 1994 e ‘O Homem da Capa Preta de 1986. Sua filmografia é irregular, mas sua experiência é inegável. O mérito de ‘Em Nome da Lei’ está na aposta de uma boa construção de suspense, mas que perde qualidade por sua atmosfera de novela, com um moralismo desnecessário, principalmente nas cenas que tratam a violência de uma forma muito “limpa” e o sexo como algo que não deve ser mostrado. Entretanto, não deixa de representar “novos ventos” para o nosso cinema, por ser um tipo de entretenimento, com um conteúdo de reflexão, aliado à diversão, que dialoga com nosso contexto nacional, passado e recente. #FÃCULT, #FanCult, #PipocadePimenta, #FVFraga.

23/04/2016 - Vanessa F. (33 anos)

23/04/2016
Vanessa F. (33 anos)

  Ótimo
Denunciar
Odeio filmes brasileiros. Creio que desde Tropa de Elite nenhum nunca mais me agradou. No entanto, como a programação dos cinemas anda muito ruim resolvi me arriscar neste filme e, para minha surpresa, gostei demais. Trata-se de um suspense policial bem realizado considerando o baixo orçamento que temos no Brasil. O filme lembra, evidentemente que em menor escala, muito do que estamos acompanhando na Operação Lava Jato. Os atores estão muito bem no filme, principalmente os coadjuvantes Eduardo Galvão e Chico Diaz. Recomendo.

25/04/2016 - Sérgio Sarmento (62 anos)

25/04/2016
Sérgio Sarmento (62 anos)

  Bom
Denunciar
Assisti nesta tarde, NO CINEMA, quando da estreia nacional. Olha! É mais um filme do veterano, marido da senhora produtora de filmes e juntamente com ela donos da Morena Filmes uma grande empresa carioca de filmes e produtora de muitos filmes desde 1980 com o primeiro longo do diretor Rezende chamado Até a Última Gota (1980). Ah! Além disso o cara é pai da boa diretora Julia Rezende (uma menina que deve ter seus 30 anos) e que me deixou muito feliz ao dirigir Ponte Aérea (2015) filme assistido por mim há um ano atrás (23.04.2015). Obra que já comentei no site IF e que me deixou entusiasmado por seu acabamento final. Realizei tudo isso para tentar explicar que estamos diante de pessoas que tem o cinema nacional como uma industria. Esse pessoal realmente dominam um sistema muito grande. Além disso para fazer esse Em Nome da Lei (2016) se associaram com a Globo Filmes. Mais o cineasta Cacá Diegues e mais um "monte" de empresas publicas através destes famigerados incentivos fiscais. Dito isso. Penso que essa obra atual é o mais comercial dos doze longas realizados por esse senhor. Sempre gosto de lembrar que assisti todos os 12 longos NO CINEMA. E esse thriller policial e ação é o mais fraco deles. Mas também tenho que dizer que todos os seus filmes procuram retratar uma problemática da sociedade brasileira. Seja de direita como O Homem da Capa Preta (1986) ou de esquerda como Lamarca (1994). Deste o primeiro de 1980 Até a Última Gota que falava do comercio de sangue nacional. Até o gostoso, nostálgico e francamente lindíssimo Zuzu Angel (2006). Esse Zuzu é um dos melhores nacionais deste século. Isso não tenho dúvida alguma. Passando por seu filme logo anterior que é Salve Geral (2009) e que retratava os acontecimentos em São Paulo o maio de 2006. Quando uma horda de bandidos invadiram a maior cidade brasileira e cometeram enormes barbaridades. Portanto só quem conhece, como eu, O CINEMA de Sérgio Rezende poderá admirar obras anteriores e de rara exceções. Mas esse Em Nome da Lei também podemos afirmar que não é ruim. É apenas um filme muito preocupado com clichês e filmado como se fosse um roteiro televisivo. Isso é uma coisa que só posso entender se passar no final do ano ou no início do outro (2017) como seriado na tela da televisão Globo e em suas "afilhada". Não tem outra explicação para o veterano diretor Rezende fazer uma coisa desta para nós que amamos uma sala cinematográfica. No geral os atores interpretam mecanicamente. O ator Mateus Solano e Paola Oliveira parecem que estão em uma novela das 21 horas da Globo. Ao contrário do ator Chico Diaz e Eduardo Galvão estão muito bem (penso até por não fazerem muitas novelas e com isso não pecaram aquele cacoete miserável das telenovelas. Bem! Esse filme com suas características (falo em atores, na produção enorme e no clima propriamente dito) os produtores pensaram em uma enorme bilheteria. Mas pelo andar das coisas acredito que não vai ser isso (na sessão que estava, nesta tarde, não tinha dez pessoas). O que lamento. Pois é filme, que apesar dos pesares, deveria ser prestigiado por mais pessoas. Isso tenho a mais nítida certeza!

05/05/2016 - Gabriel (27 anos)

05/05/2016
Gabriel (27 anos)

  Ótimo
Denunciar
Filme real! Excelente! Vale a pena! Veja! Lição de vida!

20/05/2016 - Pri Melo (32 anos)

20/05/2016
Pri Melo (32 anos)

  Bom
Denunciar
Baseado em fatos reais, o filme mostra o comando do tráfico de drogas que ocorre na fronteira Brasil/Paraguai. O roteiro é excelente e o andamento do filme pode deixar confuso sobre quem está contra ou favor do chefe do crime, de quem realmente faz parte ou não do esquema corrupto. Cenas de ação e suspense se misturam, num final surpreendente. Destaque especial para a atuação do Mateus Solano.

20/08/2016 - Sueli (47 anos)

20/08/2016
Sueli (47 anos)

  Ótimo
Denunciar
Muito bom... Mostrar Spoiler Esqueceram apenas de deixar um curativo ou uma "cicatriz" onde ela (Alice) foi atingida pela bala.

22/10/2016 - Sportman (37 anos)

22/10/2016
Sportman (37 anos)

  Ótimo
Denunciar
Tai mais filme nacional com pouco investimento, mas que tem valor. Filmes nessa qualidade é que deveriam ir para os cinemas e não esse monte de porcaria que anunciam e que só tomam nosso dinheiro e roubam nosso tempo. Com cinema eu parei, filme agora só em casa e bem selecionado como é o casa desse aqui. Nota 10.

27/12/2016 - Kassio (19 anos)

27/12/2016
Kassio (19 anos)

  Regular
Denunciar
Um bom filme do gênero, mas não apresenta novidades, nem nada festivo, mas do mesmo, mas entretem quem gosta do gênero, eu esperava alguma novidade, mas me decepcionei, o básico se encontra aqui.

20/09/2017 - Leonardo F. Barbosa (27 anos)

20/09/2017
Leonardo F. Barbosa (27 anos)

  Ótimo
Denunciar
Filme excelente! Um filme brasileiro que realmente presta. Retrata a história real de um juiz federal novato numa cidade dominada e que, com garra e inexperiência, busca desmantelar organizações criminosas! Boa filmagem e ótimas atuações! Muito bom mesmo!

09/12/2020 - Robertocarlosm (60 anos)

09/12/2020
Robertocarlosm (60 anos)

  Péssimo
Denunciar
Assisti no corujão na TV globo, péssimo, deveria ter ido dormir, história muito mal produzida e muito mal dirigida, essa lei Rouanet faz coisa, cenas de ação e suspense muito mal elaboradas, atuações nem um pouco convincentes, não recomendo.

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho (spoiler), mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiler? /    
Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:


Últimos Visitados

Em Nome da Lei (Em Nome da Lei)

Copyright © 2021 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.